Carregando...

Cidade de MG proíbe casas de shows de abrir para frear Covid-19 - Notícias - R7 Minas Gerais

Com a alta de casos de Covid-19 na cidade, a Prefeitura de Guaxupé, a 448 km de Belo Horizonte, proibiu o funcionamento de casas de shows e eventos até o dia 17 de janeiro.

A administração municipal também restringiu o horário de bares, restaurantes e lanchonetes. Agora, esses estabelecimentos podem abrir das 5h à 0h e sem música ao vivo. Quem descumprir o decreto poderá pagar uma multa de R$ 10 mil caso seja reincidente e até perder o alvará por 60 dias.

Nos primeiros seis dias do ano, Guaxupé já registrou 351 novos casos de Covid-19. Desde o início da pandemia, 157 pessoas morreram por causa do vírus na cidade, de 51.911 habitantes.

Restrição em MG

O município do sul de Minas não é o primeiro a tomar medidas de restrição para conter a doença. Nesta quinta-feira (6), a prefeitura de Itaguara, a 106 km da capital mineira,  anunciou o adiamento dos eventos de lazer deste fim de semana.

Na segunda-feira (3), Guaranésia, a cerca de 336 km de Belo Horizonte, proibiu a realização de festas, eventos e bailes por 60 dias. Apenas na terça-feira (4), 24 casos positivos foram registrados na região.

A Ufla (Universidade Federal de Lavras), a 237 km de Belo Horizonte, também anunciou a suspensão das atividades letivas presenciais dos cursos de graduação a partir da próxima segunda-feira (10) até o dia 29 de janeiro. Segundo a universidade, as atividades terão o formato alterado para remoto, com exceção dos cursos com permissão legal para a continuidade de atividades presenciais.

O que diz o governo

Apesar do aumento de casos de Covid, o governo estadual não tem previsão de endurecer as regras de isolamento em Minas. Atualmente, todas as regiões estão na onda verde do plano Minas Consciente, a fase mais flexível do programa.

Questionado sobre o avanço da Ômicron em coletiva nesta quinta-feira (6), o secretário estadual de Saúde, Fábio Baccheretti, afirmou que em semanas a infecção pela mutação vai predominar no estado.

"A Delta não causou uma segunda onda no estado, mas a Ômicron deve provocar um aumento de casos. A expectativa é que tenhamos postos de atendimento mais cheios, mas os CTIs [Centros de Tratamento Intensivo] não devem fazer paralelo com março e abril do ano passado", detalhou o secretário.

Segundo o último boletim epidemiológico divulgado ontem (6), Minas registrou 6.400 novos casos e 17 mortes por causa da Covid nas últimas 24h.

Veja detalhes da coletiva do secretário de Saúde:


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*