Carregando...

Homem suspeito de matar o irmão durante briga se apresenta à polícia, em Suzano

Homem suspeito de matar o irmão se apresenta à polícia em Suzano

Homem suspeito de matar o irmão se apresenta à polícia em Suzano

O homem de 23 anos suspeito de matar o próprio irmão em Suzano na semana passada se apresentou à Polícia Civil, nesta quarta-feira (15), e prestou depoimento.

A briga entre os irmãos aconteceu em frente à casa que a família mora, No bairro Cidade Boa Vista, durante uma festa, na madrugada do dia 7 de setembro. Segundo o advogado de defesa, Pitágoras Assis, o suspeito não teve intenção de matar.

“Ele pegou a faca apenas para assustar. Então ele retorna aqui para fora da propriedade, mostra a faca para o Edilson e 'Edilson, para com isso, agora deu'. E Edilson avança para cima dele novamente, desfere outro soco nele. Com base no depoimento, ele disse que estava muito escuro. Ele desferiu o golpe, na versão dele, para acertar no braço para assustar e repelir, o que não acabou acontecendo, infelizmente”, diz o advogado.

Edilson Marques morreu após ser esfaqueado pelo irmão, em Suzano.— Foto: Reprodução/Diário TV

Edilson Marques morreu após ser esfaqueado pelo irmão, em Suzano. — Foto: Reprodução/Diário TV

Edilson Marques de Oliveira, de 30 anos, não resistiu à facada. Ele deixou três filhos e tinha terminado um casamento há pouco tempo. A mãe dos dois irmãos, Marta Marques Pereira, contou que os filhos se davam bem, mas que nos últimos dias Edilson andava bem alterado e até agressivo.

“Há uns 15 dias, ele chegou aqui de madrugada, bem estressado, querendo que a gente abrisse a porta. Eu fui falar para ele que aquilo não era horário para ele chegar, aí ele veio gritar comigo, veio querer agredir o meu esposo. No que eu vi ali, ele tava em substância de bebida, droga”, relata a mãe.

Ainda segundo a família, no dia da briga os dois irmãos tinham ingerido bebida alcoólica. “Um pouco, sim, com certeza, porque é o que eu estou falando: meus filhos sempre se deram bem, nunca teve problema de chegar a acontecer uma fatalidade dessa com ninguém”, disse.

O caso foi registrado como homicídio simples. “Alguns familiares já prestaram depoimento. O pai, a dona Marta que é a mãe. Nós temos uma testemunha menor de idade, a única testemunha ocular do evento, também já prestou depoimento e a defesa ainda vai impugnar por mais dois depoimentos, porque eles estavam aqui no dia da festa e estavam na propriedade na hora do ocorrido”, pontua o advogado.

Assista a mais notícias do Alto Tietê

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*