Carregando...

Análise: Discurso de Joe Biden deixa de lado solidariedade ao povo afegão

Discurso de Joe Biden deixa de lado solidariedade ao povo afegão

Discurso de Joe Biden deixa de lado solidariedade ao povo afegão

Faltou uma palavra no discurso que o presidente Joe Biden fez pra marcar o fim da guerra no Afeganistão.

Durante quase meia hora, Biden não pronunciou nenhuma palavra de solidariedade ao povo afegão.

E não estou falando dos soldados, tradutores, pessoas que trabalharam com as tropas nestes 20 anos.

Estou falando de uma geração inteira, que nasceu nos anos 2000, junto com a chegada das tropas, cresceu com a presença ocidental e acreditou que aquelas tropas lutavam também pra garantir liberdades que o Talibã não permitia.

Meninas, que hoje tem 20 anos de idade, e acreditaram na promessa de que o Afeganistão estava sendo moldado com base em conceitos democráticos.

Que foram para a escola, abriram empresas, e algumas viraram até influenciadoras digitais, como é o caso da Najma Sadeqi, uma youtuber de 20 anos que morreu tentando sair do país.

Por causa destas liberdades, muitas outras estão sendo perseguidas pelo Talibã.

Mulheres afegãs usam burca ao fazer compras em feira em Cabul, no dia 28 de agosto — Foto: Aamir Qureshi/AFP

Mulheres afegãs usam burca ao fazer compras em feira em Cabul, no dia 28 de agosto — Foto: Aamir Qureshi/AFP

E o presidente Joe Biden não trouxe uma palavra de solidariedade por estas mortes e estas perseguições.

Além disso, tudo que evoluía no Afeganistão dependia do dinheiro que vinha de fora. Sem investimento internacional não existe escola, não há educação e nem infraestrutura.

Documentos confidenciais obtidos pelo jornal “Washington Post” apresentam relatos de pessoas que defendiam a intervenção e agora pensam que teria sido melhor se os americanos nunca tivessem ocupado o país.

O problema não foi a forma como os EUA saíram do Afeganistão. O problema foi a ocupação.

Isto Biden até admite, mas sempre sob a ótica da América em primeiro lugar e dos custos para os americanos. Sem nenhuma solidariedade ao Afeganistão.

LEIA TAMBÉM:

Análise: Retomada rápida do Talibã e ataques do Estado Islâmico mostram que história no Afeganistão não é bem como EUA e aliados contavam


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*