Carregando...

Enem: veja os conteúdos que mais caem em cada prova

Como porta de entrada para universidades brasileiras, o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) recebe milhões de candidatos todos os anos. Sempre que anunciada a realização da prova, vem a dúvida do que é necessário estudar para tirar uma boa nota e garantir vaga na universidade e no curso pretendidos. Esse ano, o exame será realizado nos dias 21 e 28 de novembro.

  • SP determina volta obrigatória às aulas presenciais na 2ª
  • Doria detalha retorno obrigatório das aulas presenciais
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

O Poliedro Sistema de Ensino, que conta com mais de 480 escolas associadas no País, separou resultados da Coletânea Enem. O levantamento de dados ocorre desde 2012 com o objetivo de auxiliar estudantes a entenderem a dinâmica dos assuntos que mais podem cair no exame. Com a nota do Enem, o candidato pode buscar uma vaga no Sistema de Seleção Unificado (SiSU), no Programa Universidade para Todos (ProUni), no Fies, que é o financiamento do governo federal, ou até mesmo em universidades que aceitam o exame como forma de ingresso.

O Estadão separou as informações de cada disciplina com os assuntos mais recorrentes do Enem. Confira:

Biologia

De acordo com a Coletânea, entre os temas mais recorrentes na disciplina, "Fundamentos da Ecologia" representa 11,9%. A importância desse assunto se dá pela relação dos seres vivos com o ambiente em que vivem. Pode cair nicho ecológico, habitat e dinâmica de populações, por exemplo. Assim como "Ecossistema", com 8,5% dos enunciados, e "Sistema Imunitário", correspondendo a 6,8% da prova. Isso significa que biomas brasileiros, exploração e uso de recursos naturais e problemas ambientais podem vir como questões do exame. Por outro lado, o sistema imunitário abrange a estrutura e a fisiologia celular, ou seja, membrana, citoplasma e núcleo. Atente-se à divisão celular como pergunta do Enem.

Resposta: A

Química

15,4% das questões se referem ao conteúdo de ligações químicas, polaridade e forças. "Reações orgânicas" e "eletroquímica" ocupam o segundo lugar entre os temas mais recorrentes no exame, representando 9,2% das perguntas. Nesta área de conhecimento, podem cair questões relacionadas às grandezas químicas, como massa, volume, mol, massa molar, entre outras. Também podem aparecer os materiais, as propriedades e usos, ou seja, estados físicos dos materiais e as mudanças dos estados.

Resposta: C

História

A Segunda Guerra Mundial é o tópico que mais cai, sendo 12,3% da prova.

Resposta: D

Geografia

As questões ambientais são o assunto mais frequente, ou seja, 12,3%.

Resposta: C

Filosofia

As Teorias do Conhecimento representam 27,3% do teste. Esta área estuda a maneira como obter o conhecimento verdadeiro e originou-se nos escritos de Platão, que, mais tarde, teve outras vertentes como o empirismo e a metafísica, por exemplo.

Resposta: D

Sociologia

O Século XXI aparece em 30,4% das questões de Sociologia do Enem. Esta área significa estudar, por exemplo, o mundo do trabalho, os meios de produção e seus impactos, trazendo conceitos de Karl Marx.

Resposta: C

Em "Linguagens", que agrupa as áreas de conhecimento de gramática, literatura, educação física, artes, interpretação de texto, inglês e espanhol, os temas variam.

Português e Literatura

Estrutura e formação das palavras correspondem a 23,8% das questões de gramática e literatura. Interpretação de texto é um tema muito forte e os alunos devem estar atentos, já que 33,3% das questões se referem a este assunto.

Resposta: D

Língua Estrangeira: Inglês e Espanhol

Nas disciplinas de língua estrangeira, interpretação de texto representa 100% das perguntas das provas de Inglês e Espanhol.

Artes

A arte em nosso tempo é o tópico que mais aparece em Artes, sendo 36% do teste.

Educação Física

A influência da mídia sobre a imagem do corpo abrange 37,5% do exame.

Resposta: D

Partindo para a parte de cálculos, o Poliedro separou os temas mais frequentes na prova que cobrem as disciplinas de Matemática e Física

Matemática

Segundo a Coletânea Enem, "grandezas proporcionais" e "médias algébricas" fazem parte de 19,4% do exame, enquanto problemas de 1º e 2º graus ocupam o 2º lugar, com 15,6%. É importante ter conhecimento de gráficos e funções algébricas. Matemática financeira e porcentagem são 7,2% da prova. Um exemplo: "Maria comprou uma bolsa com 20% de desconto. O valor do produto é R$ 100,00. Quanto ela pagou?". A resposta para esta questão é que o produto foi comprado por R$ 80,00.

Resposta: D

Física

Acústica e resistores ocupam as primeiras posições, sendo 21% das questões, enquanto energia, trabalho e potência figuram na sequência, representando 8,8% do exame. Aqui, é esperado conhecimento sobre fenômenos ondulatórios, período, frequência e ciclo. Outras questões que podem aparecer se referem às grandezas mecânicas, como espaço, tempo, velocidade e aceleração.

Resposta: B

O levantamento e as dicas

A metodologia para buscar esses dados é realizada por meio de análise de professores da instituição, que avaliam os temas que mais caíram na edição anterior. Este mapeamento dos conteúdos é feito após a aplicação do exame. A pedido do Estadão, a coordenadora pedagógica do Poliedro Colégio, Maria Catarina Bózio, apontou dicas de como os estudantes podem interpretar os dados, a fim de estar a par dos temas e buscar uma boa nota para ingressar na universidade. "É importante que o estudante faça um planejamento para entender os dados e aplicar nos estudos e na hora de escolher o sistema para o qual vai tentar a vaga. Isso significa que ele também deve estar atento ao peso das áreas para o curso pretendido", afirma.

Ainda que esses assuntos sejam os mais recorrentes na prova, não significa que o aluno deva abandonar os demais temas, uma vez que a composição da média geral é por cada resposta certa, que depende de estudo, segundo a coordenadora. "O abandono total é perigoso, porque também há outras provas além do Enem. Nós não somos adeptos deste tipo de conselho", ressalta.

Uma dica para os estudantes, segundo Bózio, é buscar o "termo de adesão", publicado pelas instituições de ensino superior, a fim de ter certeza dos pesos de cada área para os cursos. "Muito provavelmente essas áreas com maior peso são as que o aluno mais tem afinidade, então, é estratégico mesmo ter essas informações", sinaliza.

Outra recomendação nessa reta final é fazer a resolução de exercícios de provas dos anos anteriores. "Os nossos alunos recebem estes dados e as provas dos anos anteriores para se desafiarem a resolver a questão proposta, a fim de que, nos pontos com dificuldade, ele reveja o conteúdo", explica. "Por isso, é muito importante realmente pesquisar, ter certeza de qual curso quer e onde quer, porque isso ainda engana muita gente."


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*