Carregando...

Boca de urna aponta surpresas em eleições municipais na Itália

Os primeiros resultados de boca de urna neste domingo (12) do consórcio Opinio Italia para a emissora RAI mostram uma grande surpresa na cidade de Verona e a eleição quase certa em primeiro turno da direita em Gênova e Palermo. Já Parma e Catanzaro devem ter segundo turno.

Tommasi está à frente de Sboarina e Tosi em Verona
Tommasi está à frente de Sboarina e Tosi em Verona
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Ao todo, nove milhões de italianos de 971 cidades foram convocados para as urnas e, segundo o último boletim do Ministério do Interior, cerca de 40% deles tinha ido às urnas até às 19h - o pleito seguiu até às 23h.

  • Ponte despenca durante reinauguração com autoridades; assista
  • 'Emboscada' de gatinhos nos EUA faz homem resgatar 13 filhotes
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Eram 142 as cidades com mais de 15 mil habitantes, ou seja, que poderiam ter segundo turno e 26 capitais de província em disputa.

Principal bastião da extrema-direita, a cidade de Verona tem o ex-jogador de futebol da Roma e candidato da centro-esquerda (Partido Democrático, Movimento Cinco Estrelas e Ação), Damiano Tommasi, com 37% a 41% dos votos. Já o representante apoiado pelas siglas de ultradireita Liga e Irmãos da Itália (FdI) e atual prefeito, Federico Sboarina, tem entre 27% e 31%. O outro candidato da direita, Flavio Tosi, apoiado principalmente pelo Força Itália, tem o mesmo percentual do atual representante municipal.

Em Gênova, o atual prefeito de centro-direita, Marco Bucci, aparece com 51% a 55% dos votos, o que lhe garantia a vitória ainda no primeiro turno. Seu desafiante da centro-esquerda, Ariel Dello Strologo deve ter entre 36% e 40%.

Palermo, a maior cidade em disputa e que teve um fim de semana marcado pelo caos nas sessões eleitorais com a falta de 170 presidentes locais, pode também definir o resultado em primeiro turno por ter mais de 40% dos votos. Roberto Lagalla, de centro-direita, aparece com 43% a 47% dos votos contra o representante da centro-esquerda, Franco Miceli, com 27% a 31%.

Em Parma, a pesquisa indica Michela Guerra (centro-esquerda) com 40% a 44% dos votos contra 19% a 23% de Pietro Vignali - o que pode provocar um segundo turno por um percentual mínimo, já que o valor está dentro da margem de erro. Em Catanzaro, a situação se repete, com o candidato apoiado por FI e Liga, Valerio Donato, com os mesmos 40-44% e Nicola Fiorita (M5S e PD) com 31% a 35%. .
   


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*