Carregando...

Gustavo Petro é eleito presidente da Colômbia

Progressista recebeu 50,5% dos votos e derrotou o candidato da ultradireita, Rodolfo Hernández, que teve 47,3%. Petro fez campanha prometendo reduzir desigualdades e fortalecer políticas sociais.A Colômbia, segundo país mais populoso da América do Sul, elegeu neste domingo (19/06) seu primeiro presidente de esquerda: Gustavo Petro, que já foi deputado, senador e prefeito de Bogotá e concorria ao cargo de presidente pela terceira vez, prometendo reduzir desigualdades e fortalecer políticas sociais.

Petro já foi deputado, senador e prefeito de Bogotá e disputava o cargo de presidente pela terceira vez
Petro já foi deputado, senador e prefeito de Bogotá e disputava o cargo de presidente pela terceira vez
Foto: DW / Deutsche Welle

Ele derrotou o ultradireitista Rodolfo Hernández, empresário da construção civil e ex-prefeito de Bucaramanga que é muito ativo nas redes sociais e teve como eixo de campanha o discurso anticorrupção.

  • Homem que desistiu de ser humano mostra sua nova rotina como um cão
  • Homem é executado com mais de 80 tiros dentro de BMW blindada
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Petro recebeu 50,5% dos votos e Hernández, 47,3%, segundo o órgão de contagem de votos nacional, diferença de mais de 700 mil votos. Cerca de 22 milhões de pessoas foram às urnas - o voto no país não é obrigatório.

Após a divulgação do resultado, Petro escreveu no Twitter que era um "dia de festa para o povo". "Que tantos sofrimentos sejam absorvidos pela alegria que hoje inunda o coração da pátria."

Petro, de 62 anos, chegou a ficar preso por 18 meses nos anos 1980 por sua atividade como membro do grupo guerrilheiro M-19 e hoje se apresenta como um progressista moderado que pretende ampliar o acesso a direitos sociais e proteger o meio ambiente.

A Colômbia terá também sua primeira vice-presidente negra: Francia Márquez, de 40 anos, ativista ambiental e de direitos humanos que se notabilizou ao enfrentar o garimpo ilegal de ouro.

Já Hernández, de 77 anos, construiu uma forte presença em redes sociais e aplicativos de mensagem, como o TikTok e o WhatsApp, para se apresentar como um candidato de fora do sistema político e contra a corrupção - no entanto, ele mesmo é investigado em um processo que apura direcionamento de licitação quando era prefeito, o que ele nega. Entre suas propostas, estava vender aviões e automóveis usados por autoridades e transformar a residência presidencial em um museu.

Em vídeo publicado em uma rede social neste domingo, Hernández reconheceu a sua derrota. "Colombianos, hoje a maioria dos cidadãos escolheu o outro candidato. Como disse durante a campanha, eu aceito o resultado desta eleição", afirmou.

bl (AP, Reuters)


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*