Carregando...

Começa a 3ª fase da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal

A terceira fase da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal do Ministério da Saúde - denominada SB Brasil 2020 (vigência 2021-2022) - ocorre entre junho e agosto deste ano. Lançado em fevereiro, o levantamento epidemiológico é resultado de uma parceria com a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), de forma integrada com o CFO (Conselho Federal de Odontologia) e Conselhos Regionais da Classe. Além disso, o estudo conta com o apoio de pesquisadores de universidades e profissionais do SUS (Sistema Único de Saúde).

Foto: DINO / DINO

As primeiras visitas aos cidadãos aconteceram em março, no estágio denominado arrolamento, em que agentes comunitários de saúde visitam setores sorteados em busca do público-alvo da sondagem.

  • Homem invade evento do PT em SP durante discurso de Lula
  • Marido infiel deixa celular no conserto com bilhete escondido: "Me ajuda"
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Nos próximos dois meses, Cirurgiões-Dentistas e Auxiliares/Técnicos de saúde bucal devem empreender a 3ª fase da análise. Para tanto, os profissionais visitarão os moradores elegíveis para fazer um questionário completo. Entre as principais perguntas, serão investigados elementos como condição socioeconômica, acesso e utilização de serviços odontológicos, dor dentária e orofacial, autopercepção e impacto da saúde bucal na vida diária, conforme publicação do CFO.

A entidade reporta que o principal objetivo da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal SB Brasil 2020 é dar continuidade à série histórico-epidemiológica. Por esse motivo, a investigação deve conter os moldes semelhantes àqueles utilizados em 2003 e 2010.

Na visão do Dr. Flavio Baraldi, convidado da Odonto Top - blog de assuntos voltados à odontologia e Indicação de clínicas odontológicas -, o levantamento epistemológico iniciado em fevereiro, que irá avaliar a questão da saúde bucal dos brasileiros, é de grande relevância, tendo em vista as diferentes faixas etárias que serão entrevistadas, bem como pelas populações de grupos e classes sociais distintas.

Para ele, o estudo possibilitará uma maior noção das diferentes realidades quanto ao acesso à saúde bucal, autoconhecimento sobre saúde bucal e impactação da saúde. "Embora com mais acesso, tanto ao tratamento odontológico em si, como à informação - em comparação há alguns anos - a realidade é que, ainda hoje, nem toda a população tem a atenção em saúde que deveria", analisa.

Baraldi destaca que o conhecimento empírico ainda é predominante em certas populações do país, com crenças limitantes em relação à real importância da manutenção da saúde bucal. Assim, mais informações e acesso ao profissional da odontologia são cada vez mais necessários aos muitos que ainda não os têm.

"Nos últimos anos, com programas do governo federal (como o Brasil Sorridente), foi visto que muitos indivíduos que não tinham acesso a tratamento passaram a ter. Ainda, profissionais da odontologia fazendo parte da equipe de estratégia do Programa Saúde da Família, pacientes que antes recebiam apenas atenção médica e de enfermagem, passaram a ter a saúde bucal levada em consideração em seus tratamentos", observa.

O dentista convidado da Odonto Top também destaca que a pandemia de Covid-19 representou um forte impacto na saúde bucal dos brasileiros. "Elementos como procedimentos eletivos cancelados e pacientes e profissionais tendo medo de se expor geraram o prolongamento das afecções orais sem tratamento adequado, agravando a condição da saúde bucal de muitos indivíduos. O que fez com que o acesso e a qualidade da saúde entrassem em declínio, comparado aos anos que antecederam a crise sanitária", articula.

De fato, uma pesquisa realizada pela UFPel (Universidade Federal de Pelotas) revelou que o número de consultas odontológicas caiu de forma significativa ao longo da pandemia. A redução foi de 80% e 30% na rede pública e privada, respectivamente. De forma síncrona, a "Pesquisa Nacional de Saúde" mais recente, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2019 e divulgada em 2020, demonstrou que apenas 49,4% dos brasileiros procuraram um profissional de odontologia em um intervalo de 12 meses. 

Para mais informações, basta acessar: https://odonto.top/



Website:

https://odonto.top/

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*