Carregando...

Lula diz que Bolsonaro participa de motociata por não ter coragem de fazer comício

Em encontro com trabalhadoras domésticas no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), neste domingo, 4, o candidato à Presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, fez novo aceno ao segmento feminino. O petista destacou Dilma Rousseff como primeira presidente mulher do País e disse que ela "foi tirada do governo por uma sacanagem, por uma bicicletada que inventaram". Ao criticar o presidente Jair Bolsonaro (PL), sem mencioná-lo, Lula afirmou que "o cara que votou para tirar ela não dá nem bicicletada, dá motociata" porque não teria coragem de fazer comício.

"Dilma foi tirada do governo por uma sacanagem, por uma bicicletada que inventaram. A Dilma foi tirada e o tal do cara que votou para tirar ela não dá nem bicicletada, dá motociata", afirmou Lula. "Ele não tem coragem de fazer comício. Quando vai é para fazer comício com militares, militantes dele. Ele não se mistura com povo pobre porque sabe que mente demais. Não é Lula que está dizendo, é a imprensa", afirmou.

  • Justiça Eleitoral determina busca e apreensão na casa de Moro
  • Bolsonaro se esquiva após homem simular jogar objeto contra ele em 'motociata'; veja
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Lula voltou a prometer que, se eleito, criará um Ministério da Mulher. "Não vai ser mais uma secretaria, vai ser um ministério. Mulheres são maioria nesse País e já mostraram ter competência para exercer qualquer função em qualquer lugar no mundo e no Brasil também", disse.

Lula (PT) em comício em Manaus, em 31 de agosto de 2022. Foto: MICHAEL DANTAS / AFP

O aceno acontece após gafes cometidas pelo ex-presidente em relação ao público feminino e que tiveram grande repercussão nas redes sociais. Durante um comício em Belém na noite de quinta-feira, 1, por exemplo, Lula disse que trabalho doméstico é "serviço da mulher" ao mencionar que o homem tem que ter a "dignidade de ajudar na cozinha".

Em ato realizado no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, no dia 20 de agosto, Lula também acumulou outra polêmica. "Mão de homem não foi feita para bater em mulher. Quer bater em mulher? Vá bater em outro lugar, mas não dentro da sua casa ou no Brasil, porque nós não podemos aceitar mais isso", disse na ocasião.

No evento deste domingo, Lula reforçou a pauta de igualdade de oportunidades e disse que, se eleito, não vai "prejudicar ninguém". "Não quero que a filha da empregada doméstica prejudique o filho do patrão dela. A única coisa que eu quero é que o filho da empregada doméstica tenha a mesma oportunidade de disputar a mesma vaga com qualquer pessoa do mundo".


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Calendar