Carregando...

Supremo afasta Ibaneis do governo do DF após invasões de bolsonaristas

O ministro do STF Alexandres de Moraes determinou o afastamento de Ibaneis Rocha do cargo de governador do DF
O ministro do STF Alexandres de Moraes determinou o afastamento de Ibaneis Rocha do cargo de governador do DF
Foto: Reuters / BBC News Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou na madrugada desta segunda-feira (9/1) o afastamento do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

A decisão, que vale por 90 dias, foi publicada horas depois da invasão do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do STF por milhares de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Michelle Bolsonaro publica vídeo do Palácio da Alvorada após 'indireta' de Janja Bolsonaro publica no Twitter como se ainda fosse presidente e desperta atenção dos internautas Janja mostra danos no Palácio do Alvorada e objetos que Bolsonaro deixou para trás

O protesto contra a vitória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e favor de um golpe de Estado terminou em atos de vandalismo e depredação do patrimônio público, além de confronto com a polícia.

A decisão do ministro foi dada em resposta a um pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) e do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AC).

Para Moraes, a conduta de Ibaneis, um aliado de Bolsonaro, foi "dolorosamente omissa" em relação ao vandalismo praticado por bolsonaristas na tarde deste domingo. Segundo o ministro, as forças de segurança do DF não se planejaram para impedir o vandalismo e a depredação dos prédios públicos de Brasília.

Governador do DF, Ibaneis Rocha é um aliado do ex-presidente Bolsonaro
Governador do DF, Ibaneis Rocha é um aliado do ex-presidente Bolsonaro
Foto: Agência Brasil / BBC News Brasil

De acordo com Moraes, o governador "deu declarações públicas defendendo uma falsa 'livre manifestação política em Brasília' - mesmo sabedor por todas as redes que ataques às instituições e seus membros seriam realizados."

"(Ibaneis) também ignorou todos os apelos das autoridades para a realização de um plano de segurança semelhante aos realizados nos últimos dois anos em 7 de setembro, em especial, com a proibição de ingresso na Esplanada dos Ministérios pelos criminosos terroristas; tendo liberado o amplo acesso", escreveu o ministro.

Na decisão, Moraes ainda afirma que "absolutamente NADA justifica e existência de acampamentos cheios de terroristas, patrocinados por diversos financiadores e com a complacência de autoridades civis e militares em total subversão ao necessário respeito à Constituição Federal."

Bolsonaristas na rampa do Palácio do Planalto na tarde de domingo
Bolsonaristas na rampa do Palácio do Planalto na tarde de domingo
Foto: Reuters / BBC News Brasil

O ministro também criticou a atuação de Anderson Torres, ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro, que até este domingo ocupava o cargo de secretário de Segurança Público do DF.

Após os atos deste domingo, Torres havia sido demitido pelo próprio governador do DF. O ex-ministro está passando férias nos Estados Unidos.

Para Moraes, Torres agiu com "descaso e conivência" ao não apresentar "planejamento que garantisse a segurança e a ordem no Distrito Federal e do patrimônio público."

Na decisão, Moraes também determinou que os acampamentos de bolsonaristas em frente ao quartel-general do Exército, em Brasília, devem ser desfeitos pela Polícia Militar, com apoio da Polícia Federal e da Guarda Nacional, caso seja necessário.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*