Carregando...

Polícia Civil do Paraná identifica e ouve homem que ameaçou diretores da Anvisa

Ameaças foram direcionadas a diretores da Anvisa e secretários estaduais do Paraná — Foto: Adriano Machado/Reuters

Ameaças foram direcionadas a diretores da Anvisa e secretários estaduais do Paraná — Foto: Adriano Machado/Reuters

A Polícia Civil do Paraná (PC-PR) identificou o autor de uma das ameaças feitas a diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O homem foi ouvido pela polícia na quinta-feira (4), segundo a polícia.

De acordo com a agência, diretores do órgão receberam e-mails com intimidações que exigiam que o pedido de uso da vacina contra a Covid-19 em crianças não fosse aprovado.

  • Compartilhe esta notícia no WhatsApp
  • Compartilhe esta notícia no Telegram

Segundo a Polícia Civil, o homem foi intimado e disse estar arrependido de ter feito as ameaças.

A polícia informou que continua com as investigações sobre o caso.

Nesta sexta-feira (5), a Polícia Federal também informou que vai investigar as ameaças.

Investigações

A Anvisa recebeu um primeiro e-mail com intimidações no dia 28 de outubro. Segundo a agência, o autor disse que iria retirar o filho da escola e o levaria para homeschooling caso a aplicação em crianças fosse aprovada, e ameaçou as autoridades.

Diretores da Anvisa foram ameaçados para vetar uso da vacina contra a Covid em crianças — Foto: Anvisa | Reprodução

Diretores da Anvisa foram ameaçados para vetar uso da vacina contra a Covid em crianças — Foto: Anvisa | Reprodução

"Deixando bem claro para os responsáveis, de cima a baixo: quem ameaçar, quem atentar contra a segurança do meu filho: será morto", disse o homem. Apesar do tom do texto, ele alega: "Isso não é uma ameaça. É um estabelecimento. Estou lhes notando por escrito porque não quero reclamações depois".

O e-mail também era endereçado aos secretários estaduais da Educação e Saúde do Paraná.

No dia seguinte, em 29 de outubro, a Anvisa recebeu um segundo e-mail com ameaças. Neste caso, a mensagem foi enviada a todos os funcionários do órgão. Nem a agência, nem a polícia informaram se a segunda ameaça foi feita pelo mesmo autor.

Os e-mails foram enviados na mesma semana em que a Pfizer anunciou que entrará com pedido de uso emergencial de seu imunizante para crianças no Brasil. A decisão foi divulgada um dia após o comitê da agência reguladora norte-americana (FDA, sigla em inglês) também recomendar a vacina para a faixa etária.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR

Veja mais notícias da região em g1 Paraná


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*