Carregando...

Conhecida como capital dos embutidos no Paraná, distrito de Rolândia almeja selo de identificação geográfica para produtos

Embutidos de São Martinho podem ganhar selo de indicação geográfica

Embutidos de São Martinho podem ganhar selo de indicação geográfica

Considerado a capital paranaense de embutidos, o Distrito de São Martinho, em Rolândia, norte do Paraná, gera empregos para centenas de pessoas.

Para apoiar o crescimento dos produtores de embutidos, o Sebrae, junto com a prefeitura e o Instituto de Desenvolvimento Rural, querem conseguir o registro da identificação geográfica dos produtos.

  • Comerciantes do Paraná mantêm viva a tradição das vendinhas na área rural

É um selo que reconhece como referência a qualidade e as características próprias dos embutidos de São Martinho. A intenção é desenvolver mais negócios locais, ganhar competitividade e buscar o acesso a novos mercados.

Distrito de São Martinho, em Rolândia, é considerado a capital dos embutidos. — Foto: Reprodução/RPC

Distrito de São Martinho, em Rolândia, é considerado a capital dos embutidos. — Foto: Reprodução/RPC

Rubens Negrão, consultor do Sebrae, explica que, entre as medidas, estará a indicação de procedência, que garante que os produtos passaram por um processo reconhecido e que segue um padrão de produção, além do marketing territorial.

"São Martinho já é reconhecida, mas a ideia é termos evidências que comprovem esse título para a região. Agregando valor ao produto, é possível vender mais, buscar novos mercados", afirma o consultor.

Impactos locais

O açougueiro Alex Sandro Fiori realizou o sonho do negócio próprio depois de trabalhar por 20 anos em um outro estabelecimento. Ele começou a trabalhar em um açougue aos 14 anos.

"Minha vida inteira foi mexer com carne, sempre gostei. E foi indo, foi indo, falei na minha cabeça, ‘Um dia vou ter o meu açougue, se Deus quiser", conta.

Alex Sandro Fiori trabalha com carnes desde os 14 anos de idade e realizou o sonho de ter o próprio negócio. — Foto: Reprodução/RPC

Alex Sandro Fiori trabalha com carnes desde os 14 anos de idade e realizou o sonho de ter o próprio negócio. — Foto: Reprodução/RPC

Hoje, Alex conta com dois colaboradores, além da ajuda da esposa. Com orgulho, ele apresenta alguns dos embutidos artesanais que produz e representam 50% das vendas de todo o açougue. São carnes preparadas com temperos especiais, linguiças para churrasco e clássicos como a calabresa e o chouriço.

Toda a produção de embutidos no açougue é artesanal. São pelo menos mil quilos por mês. O carro-chefe das vendas é a linguiça pura de porco.

A família Sanches, dona de outro açougue em São Martinho que produz mais de 50 tipos de embutidos, precisou montar também um frigorífico por conta da alta demanda.

Embutidos feitos em São Martinho. — Foto: Reprodução/RPC

Embutidos feitos em São Martinho. — Foto: Reprodução/RPC

Em 1998, a família abriu um frigorífico para uso próprio, mas com a demanda crescente, expandiram o negócio e hoje contam com 100 funcionários.

"Vimos que eram uma oportunidade e fortalecemos mais ainda a estrutura, os processos, consultoria... E só foi ampliando", diz Rose Sanches Scuisato, dona do açougue.

Reveja os vídeos do Caminhos do Campo

Veja mais destaques na página especial Caminhos do Campo.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*