Carregando...

Pais do PM que sumiu no mar em Noronha acompanham a distância as buscas: 'A certeza no meu coração é que meu filho está vivo', diz mãe do policial

Pais do PM que sumiu no mar da ilha, Inaldo e Goretti acreditam que o filho vai ser encontrado com vida— Foto: Inaldo Nascimento/Acervo pessoal

Pais do PM que sumiu no mar da ilha, Inaldo e Goretti acreditam que o filho vai ser encontrado com vida — Foto: Inaldo Nascimento/Acervo pessoal

Os pais do policial militar que desapareceu durante um banho de mar em Fernando de Noronha, na segunda-feira (11), acompanham, do Recife, os trabalhos de busca na ilha. “A certeza no meu coração é que meu filho está vivo. Eu acho que ele pode estar numa pedra, uma gruta ou caverna”, afirmou a mãe do soldado, Maria Goretti Santana.

O pai do militar, Inaldo do Nascimento, contou que o filho faz aniversário no dia 21 de outubro, quando completa 28 anos. “O maior presente para nós é ter nosso filho de volta para comemorar o aniversário”, declarou.

A família não autorizou que o nome do militar seja divulgado. Maria Goretti contou que o filho sempre gostou de praia e que esteve a serviço em Noronha em abril do ano passado. Na época, não chegou a tomar banho de mar porque o acesso à praia estava proibido por causa da pandemia da Covid-19.

Equipes de buscas utilizam embarcações durante a procura pelo PM que desapareceu no mar — Foto: Ana Clara Marinho/TV Globo

Equipes de buscas utilizam embarcações durante a procura pelo PM que desapareceu no mar — Foto: Ana Clara Marinho/TV Globo

“Ele conheceu a praia sem entrar no mar e disse que a ilha era muito bonita”, contou a mãe. O policial militar estava de folga na Praia do Cachorro, na companhia de outros três PMs, quando desapareceu após ser levado pela correnteza.

A Polícia Militar informou, por meio de nota, que o policial estava lotado no 1° Batalhão de Policiamento de Trânsito. Ele estava cedido, de 1º a 31 de outubro, ao grupamento local de policiais para reforçar o policiamento ostensivo em Fernando de Noronha, sob coordenação da Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma).

Buscas

Nesta quinta-feira (14), o trabalho de buscas chegou ao quarto dia e é realizado por cerca de 30 pessoas. As equipes são formadas pelo Corpo de Bombeiros, pela Marinha, pela PM, por mergulhadores e moradores experientes em resgates.

O pai do policial gostaria que o grupo de busca fosse reforçado. “Eu gostaria que tivesse mais gente na procura. Esse pessoal deve estar cansado. Se tivesse outras pessoas, poderia ser melhor para encontrar meu filho”, disse.

Drone

Chico Bala realiza buscas com o apoio de um drone — Foto: Ana Clara Marinho/TV Globo

Chico Bala realiza buscas com o apoio de um drone — Foto: Ana Clara Marinho/TV Globo

O fotógrafo Chico Bala, que mora na ilha, participou voluntariamente das buscas pela segunda vez. Ele levou um drone para ajudar na procura pelo PM.

Chico, que tem 12 anos de experiência nesse serviço, realizou voos e fez vídeos e fotos de toda a área nas proximidades na Praia do Cachorro, onde o policial desapareceu.

“Faço um auxílio às buscas e tento enxergar onde as equipes não conseguem chegar. Eu estou rastreando. Caso tenha algo diferente, é possível identificar. Nós conseguimos ver até as tartarugas submersas”, declarou o fotógrafo.

Chico Bala disse, ainda, que essa é uma contribuição que pode dar para a localização do policial. “Quero ajudar. Quanto mais pessoas neste trabalho, melhor. Se Deus quiser, nós vamos achar”, contou.

A mulher do PM, Maria Gabriela Lima, e o irmão do militar chegaram à ilha na terça-feira (13), para acompanhar as buscas. A Polícia Militar informou que, caso o soldado, não seja localizado nesta quinta-feira (14), as buscas seguem na sexta-feira (15).

Vídeos mais vistos de PE nos últimos 7 dias

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*