Carregando...

Comerciantes da Frei Serafim falam da avenida 25 anos atrás: 'festa era aqui mesmo'

Da esquerda para a direita: Frederic Soares em sua banca de revistas, possui o estabelecimento há 29 anos. Libório Sousa, em seu bar na avenida Frei Serafim que possui a há 26 anos. — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Da esquerda para a direita: Frederic Soares em sua banca de revistas, possui o estabelecimento há 29 anos. Libório Sousa, em seu bar na avenida Frei Serafim que possui a há 26 anos. — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Na terça-feira (16), Teresina completou 170 anos. Para comemorar esta data, o g1 preparou uma série de reportagens sobre a principal avenida da cidade: a Frei Serafim. A via já foi palco de diversos momentos históricos da capital piauiense. Para lembrar estes momentos, o g1 conversou com comerciantes que trabalham por lá há décadas.

A Frei Serafim serve como um importante ponto comercial para a cidade e, durante muito tempo, foi o principal local de encontro dos teresinenses. Isso é o que Frederic Soares Fortes, ou apenas Fred, de 54 anos, lembra. Ele é dono da Banca das Comunicações, que vende revistas próximo ao Colégio das Irmãs.

"Aqui era muito movimentado de pessoas, não como hoje, que é cheio de veículos. Os forrós no restaurante Paulistano, onde era o antigo supermercado Bom Preço, agitavam as noites. As sorveterias Elefantinho, no cruzamento da Frei com a Coelho de Resende, e Sorvetão eram as principais da cidade, inclusive, eu adorava o 'sorvetão' que tinha na entrada da loja", contou o comerciante.

Comerciantes da Avenida Frei Serafim relembram como era a via há 25 anos; 'festa era aqui mesmo' — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Comerciantes da Avenida Frei Serafim relembram como era a via há 25 anos; 'festa era aqui mesmo' — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

  • Compartilhe esta notícia no WhatsApp
  • Compartilhe esta notícia no Telegram

Fred tem a banca de revistas há 29 anos. Ele observou as mudanças gradativas que aconteceram na Avenida Frei Serafim sentado em sua banca jogando caça-palavras.

Segundo Fred, sua clientela era formada principalmente por estudantes de colégios que ficavam entorno da avenida ou nas proximidades, como o Colégio Sagrado Coração de Jesus - conhecido como Colégio das Irmãs -, Sinopse, Pro Campus e o Visão, além do Instituto Federal do Piauí (IFPI).

Prédio na avenida Frei Serafim em Teresina onde antes era a sorveteria Sorvetão que tinha uma escultura de sorvete na entrada — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Prédio na avenida Frei Serafim em Teresina onde antes era a sorveteria Sorvetão que tinha uma escultura de sorvete na entrada — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

"Aqui na minha frente tinha uma parada de ônibus onde se ia pra Zona Sul e Zona Sudeste. Onde é a Humana Saúde hoje, antigamente era um supermercado, o Pão de Açúcar. Aqui ao meu redor tinha o Ministério das Comunicações e a Dataprev que também funcionavam aqui, dois órgãos federais. Além disso, onde antes era a panificadora modelo, próxima à papelaria Piauiense, era uma escola de inglês", conta Fred.

O comerciante também lembra das festas e comemorações que aconteciam na Frei Serafim, como o tradicional desfile de carnaval e o desfile cívico militar.

Comerciantes da Avenida Frei Serafim relembram como era a via há 25 anos; 'festa era aqui mesmo' — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Comerciantes da Avenida Frei Serafim relembram como era a via há 25 anos; 'festa era aqui mesmo' — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Um ponto de encontro dessas festividades era o Bar Carnaubinha, localizado no cruzamento da avenida com a Rua Magalhães Filho. Fred lembra que assistiu os jogos das copas do mundo de 1982 e de 1986 no estabelecimento.

"O Carnaubinha era um bar na avenida que quando tinha jogo do Brasil todos se reuniam lá para assistir. Eu lembro que na Copa de 82 e 86 a gente fechou a Frei Serafim, cheio de torcedores alegres. O Brasil não levou o titulo, mas a festa foi garantida. Festa era aqui mesmo", comenta saudoso.

A Banca das Comunicações funciona de segunda a sexta-feira, em horário comercial. Fred contou ao g1 que seus antigos clientes, os estudantes, hoje são profissionais graduados que ainda frequentam o seu estabelecimento ocasionalmente para comprarem revistinhas e quadrinhos como antigamente.

Bar Carnaubinha

O Bar Carnaubinha, citado pelo comerciante Fred, hoje é um complexo formado por quatro estabelecimentos. O proprietário do local dividiu e alugou o ponto. Um dos inquilinos é o senhor Libório João de Sousa, de 63 anos. Há 26 anos, ele trabalha no Bar da Avenida.

"A clientela no início era mais tranquila, eu ficava até meia-noite, dia sexta-feira, quando tinha festa no Paulistano, eu virava a noite. Antigamente, os clientes que eram estudantes, vestibulandos vinham esperar o ônibus corujão aqui, bebendo uma cerveja. Minha venda até que aumentou com o passar do tempo porque, antigamente, eu era novato na área e hoje já sou conhecido", comentou Libório.

O Bar da Avenida funciona de segunda-feira a sábado, das 15h às 21h na Avenida Frei Serafim. Segundo o comerciante, com o passar do tempo, ocorreu o aumento da criminalidade e o expediente no local foi reduzido.

Comerciantes da Avenida Frei Serafim relembram como era a via há 25 anos; 'festa era aqui mesmo' — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Comerciantes da Avenida Frei Serafim relembram como era a via há 25 anos; 'festa era aqui mesmo' — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Ao longo desses anos, Libório fez amigos e conquistou clientes fiéis. Assim como o negócio de Fred, o Bar da Avenida tinha como público principal os estudantes que, após se formarem, continuavam frequentando o bar.

"Vez ou outra ainda vem aquela clientela antiga bater ponto, matar a saudade. Aí vem de todo canto de Teresina, do Mocambinho, da Zona Leste. Tem cliente de vinte anos, quinze anos, tem cliente que é médico formado, mas que frequentou aqui na época que fazia pré-vestibular e até hoje bebe aqui. Às vezes eu nem lembro mais, mas eles passam aqui e falam 'seu Libório, quanto tempo'", afirmou.

Atualmente, a clientela do Bar da Avenida é formada, em sua maioria, por trabalhadores do Centro que, após o fim do expediente, frequentam o local. Libório é satisfeito com o seu trabalho e disse que fica feliz em fazer parte da história da principal avenida da capital piauiense.

Comerciantes da Avenida Frei Serafim relembram como era a via há 25 anos; 'festa era aqui mesmo' — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

Comerciantes da Avenida Frei Serafim relembram como era a via há 25 anos; 'festa era aqui mesmo' — Foto: Lívia Ferreira/g1 PI

*Estagiária sob supervisão de Caroline Oliveira.

📲 Confira as últimas notícias do g1 Piauí
📲 Acompanhe o g1 Piauí no Facebook, no Instagram e no Twitter

VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube

50 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar