Carregando...

Polícia Civil prende em Piracicaba líder do crime organizado do Distrito Federal

Suspeito de ataque a bancos em Araçatuba é conduzido por policiais em Piracicaba — Foto: Edijan Del Santo/ EPTV

Suspeito de ataque a bancos em Araçatuba é conduzido por policiais em Piracicaba — Foto: Edijan Del Santo/ EPTV

Um homem suspeito de chefiar o crime organizado no Distrito Federal foi preso em Piracicaba (SP) durante uma operação nesta terça-feira (31). De acordo com a Polícia Civil, ele liderava uma facção criminosa no território do DF enquanto estava escondido em uma região de chácaras na cidade do interior de SP.

Segundo a polícia do Distrito Federal, as ações do criminoso foram investigadas durante a operação "Tríade", deflagrada em junho deste ano, que tinha a intenção de conter o estabelecimento do Primeiro Comando da Capital (PCC) no DF. A organização criminosa atua dentro e fora dos presídios do país.

Por conta dessa investigação, a Justiça já tinha expedido um mandado de prisão preventiva contra o homem. Segundo a polícia, o suspeito ocupava a função de “Geral do Estado” dentro da facção, considerada parte do topo da hierarquia da organização criminosa.

Durante as investigações, os policiais descobriram que o chefe do crime organizado estava escondido em uma área de chácaras no bairro Lago Azul, zona rural de Piracicaba, de onde continuava gerindo os negócios da facção, como o tráfico de drogas, no território do Distrito Federal.

Ele foi encontrado junto com outro homem, que era procurado por roubo no DF. Ainda de acordo com a Polícia Civil, os dois faziam parte da facção.

Os dois homens, de 49 e 30 anos, foram levados para a sede da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) e ficaram presos à disposição da Justiça.

Suspeitos de ataques em Araçatuba presos em Piracicaba estão internados sob escolta na Santa Casa da cidade — Foto: Felipe Boldrini/ EPTV

Suspeitos de ataques em Araçatuba presos em Piracicaba estão internados sob escolta na Santa Casa da cidade — Foto: Felipe Boldrini/ EPTV

Suspeitos de Araçatuba

Um terceiro homem, suspeito de participar dos ataques a bancos em Araçatuba na madrugada de segunda-feira (30), também foi encontrado no mesmo esconderijo. Ele estava com ferimento de bala no braço e foi levado para atendimento médico na Santa Casa de Piracicaba, onde está internado sob escolta.

Em outro momento, também na manhã desta terça-feira, a Polícia Militar foi acionada para verificar uma outra pessoa baleada que tinha sido transferida da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) São Pedro para a Santa Casa.

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Piracicaba realizou a identificação deste segundo ferido e informou que ele está internado desde a madrugada, em estado gravíssimo, e o apontou como o segundo suspeito nos ataques em Araçatuba localizado na cidade.

Terror em Araçatuba: saiba como foi o mega-assalto a agências bancárias

Terror em Araçatuba: saiba como foi o mega-assalto a agências bancárias

Ataque a bancos

Pelo menos 20 criminosos participaram da ação criminosa no interior de São Paulo. Eles chegaram à região central de Araçatuba por volta da meia noite de segunda-feira (30).

A quadrilha rendeu moradores e os usaram como "escudo humano" sobre os carros. Um homem obrigado a se segurar no capô de um carro relatou momento de pânico.

“Davam tiro para o alto, deram tiro em cima dos prédios. Aí um deles tomou um tiro do meu lado, tomou tiro no pescoço e morreu na hora. Eles me fizeram puxar o corpo, colocar dentro do porta mala do carro”, disse.

Criminosos fizeram 'escudo humano' com moradores de Araçatuba (SP) — Foto: Arquivo pessoal

Criminosos fizeram 'escudo humano' com moradores de Araçatuba (SP) — Foto: Arquivo pessoal

Veículos foram queimados em vários pontos do município e da região para impedir a chegada da polícia. Drones também foram usados pela quadrilha para monitorar a ação da Polícia Militar.

O grupo espalhou explosivos por vários pontos da cidade. A polícia identificou 20 locais com os artefatos e policiais do Gate foram acionados para fazer uma varredura dos explosivos espalhados pela cidade.

Um morador teve os dois pés amputados após se aproximar de um explosivo deixado por criminosos. O rapaz de 25 anos estava em uma bicicleta quando houve a explosão.

Duas agências bancárias foram assaltadas e uma terceira foi danificada na área dos caixas eletrônicos. Durante a ação, dois moradores e um dos integrantes da quadrilha morreram baleados.

Prisões

Até a manhã desta quarta-feira, cinco pessoas suspeitas de participarem do crime tinham sido presas, incluindo os dois localizados em Piracicaba.

Em Araçatuba, um casal foi levado à delegacia da Polícia Federal, onde segue à disposição da Justiça. O homem e a mulher são suspeitos de atuarem como olheiros durante a ação da quadrilha.

Em Campinas, um homem foi preso por policiais da Divisão Especializada de Investigações Criminais (DEIC). Em seguida, encaminhado à sede da Polícia Federal de Araçatuba.

VÍDEOS: Fique por dentro do que acontece na região de Piracicaba

62 vídeos

Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*