Carregando...

Direção da Câmara decide nesta terça se envia caso da deputada Flordelis ao Conselho de Ética

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados tem reunião marcada para a manhã desta terça-feira (27) para decidir se envia o caso da deputada Flordelis (PSD-RJ) ao Conselho de Ética. O processo pode levar à cassação do mandato dela.

A parlamentar é acusada de ser a mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, morto a tiros em junho de 2019. Ela nega as acusações.

Por ter imunidade parlamentar, ela segue em liberdade, mas, desde o dia 8 de setembro, tem sido monitorada por uma tornozeleira eletrônica.

A Mesa Diretora é formada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e mais seis integrantes titulares, além de quatro suplentes.

A reunião está convocada para as 10h na residência oficial do presidente, em Brasília.

Os deputados irão analisar e votar parecer do corregedor da Câmara, Paulo Bengtson (PTB-PA), que recomendou o encaminhamento do processo ao colegiado.

Corregedor da Câmara recomenda que investigação contra Flordelis prossiga

Corregedor da Câmara recomenda que investigação contra Flordelis prossiga

Em seu relatório, Bengtson afirmou que os fatos descritos na representação feita à Câmara pelo deputado Léo Motta (PSL-MG), em agosto, e no inquérito policial, “constituem indícios suficientes de irregularidades ou de infrações às normas de decoro e ética parlamentar".

Para o parecer ser aprovado, não é necessária maioria absoluta. Se, por exemplo, cinco membros estiverem presentes, basta um placar de 3 a 2 para aprovar o parecer.

Integrantes da Mesa ouvidos pelo G1 disseram que a expectativa é a de que a aprovação seja unânime.

Mesmo com a decisão pelo prosseguimento do processo, a análise no Conselho de Ética não será imediata. Isso porque o colegiado está parado desde março devido à pandemia do novo coronavírus.

O seu funcionamento depende da aprovação pelo plenário principal da Câmara de um projeto de resolução. Até agora, porém, não há uma definição para essa votação.

O impasse não tem relação com o Conselho de Ética. A questão é que o projeto de resolução que chegou a ser pautado também libera os trabalhos de outras comissões, como a de Constituição e Justiça (CCJ).

No entanto, a disputa pelo comando da comissão e a articulação de alguns partidos para que determinados temas não avancem na CCJ, como a reforma administrativa, travaram a votação do projeto.

Para contornar a situação, o presidente do Conselho de Ética, deputado Juscelino Filho (DEM-MA), já apresentou outro projeto de resolução que trata apenas da autorização para o funcionamento remoto do colegiado. A sua votação, porém, depende ainda de um acordo entre os líderes partidários.

MORTE DO PASTOR ANDERSON, MARIDO DE FLORDELIS

  • Marido da deputada Flordelis é assassinado em Niterói

  • Flávio admite ter dado 6 tiros no padrasto

  • Filho da deputada diz que irmã ofereceu R$ 10 mil para Lucar matar o pai

  • Flordelis vira ré, e polícia prende 5 filhos e 1 neta

  • Flordelis botou arsênico na comida do marido e comprou a arma do crime

  • Polícia diz que cerca de 20% da família tem envolvimento com o crime

  • Cronologia do caso

  • O ASSUNTO: há 1 ano, podcast apontou contradições no caso

  • VÍDEOS: últimas notícias sobre o caso


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*