Carregando...

Em reunião de líderes, deputados pressionam por coligações, mas sofrem resistência de senadores

Senadores que participaram nesta quarta-feira (15) de reunião entre líderes partidários do Senado e da Câmara e os presidentes das duas Casas, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL), relataram ao G1 que deputados fizeram um apelo em favor da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que retoma as coligações partidárias nas eleições proporcionais.

Entretanto, esses mesmos senadores afirmaram que o tema enfrenta "muita resistência" no Senado e destacaram que a relatora da proposta, senadora Simone Tebet (MDB-MS), já propôs a retirada da volta das coligações da PEC, por considerá-la inconstitucional.

A PEC foi aprovada na Câmara no mês passado (vídeo abaixo). O relatório de Tebet deve ser votado na próxima semana pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Câmara aprova em segundo turno volta das coligações, e texto vai ao Senado

Câmara aprova em segundo turno volta das coligações, e texto vai ao Senado

A reunião de líderes contou com presença massiva de deputados que defendem a volta das coligações.

"Eles vieram fazer um apelo, mas as coligações, aqui no Senado, não passam", disse um líder. "Vieram pressionar, mas não dá para discutir reforma eleitoral em setembro. Esse debate leva muito tempo", declarou outro.

Para valer nas eleições de 2022, uma mudança nas regras do processo eleitoral precisa ser aprovada um ano antes do pleito, ou seja, até o início de outubro de 2021.

A formação de coligações permite a união de partidos em um único bloco para a disputa das eleições proporcionais.

O mecanismo, extinto na reforma eleitoral de 2017, favorece os chamados "partidos de aluguel", que não têm ideologia específica e tendem a negociar apoios na base do "toma-lá-dá-cá".

Após a reunião, nem Rodrigo Pacheco nem Arthur Lira falaram com jornalistas. Pacheco se limitou a dizer que a audiência "foi ótima". Em uma rede social, o senador disse ter "o compromisso de manter abertas as vias de diálogo sobre esse tema [as regras eleitorais] de fundamental importância para a democracia".

"Para decidirmos, ainda neste mês, sobre as normas que vão reger o próximo pleito, em 2022", acrescentou o senador.

No entanto, Pacheco já disse ser, pessoalmente, contrário à restauração das coligações (vídeo abaixo).

Pacheco diz que Senado votará PEC e tendência é rejeitar volta das coligações

Pacheco diz que Senado votará PEC e tendência é rejeitar volta das coligações

Arthur Lira não quis dar entrevista. O deputado disse que não queria falar sobre o tema sem estar ao lado de Pacheco, que já havia ingressado no plenário do Senado.

Participantes da reunião afirmaram que outras ideias surgiram no encontro. Uma seria a derrubada de um veto do presidente Jair Bolsonaro a trecho de proposta que trata das federações partidárias.

O projeto vetado permite a duas ou mais legendas se unirem em uma federação partidária e atuarem de maneira uniforme em todo o país, alternativa vista com bons olhos por senadores contrários às coligações.

Também foi debatida a possibilidade de adoção do sistema distrital misto a partir das eleições de 2026. "Ideia de regra eleitoral tem de monte, mas precisa de tempo para o debate", concluiu um líder do Senado.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*