Carregando...

Thiago Anastácio: Sabatina de André Mendonça é vitória do Supremo Tribunal Federal

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (25), o comentarista Thiago Anastácio analisou a possibilidade da marcação da sabatina de André Mendonça no Senado para a próxima semana. O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para assumir o cargo no Supremo Tribunal Federal (STF) em julho deste ano.

A possibilidade da sabatina sinalizada pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), fez com que Mendonça reorganizasse a estratégia para os últimos dias de campanha. O advogado ainda não terminou a versão final do discurso que fará aos senadores e pretende revisar temas como sua posição em relação à Operação Lava Jato, considerada uma de suas maiores fragilidades.

Para Anastácio, a decisão não é uma vitória do Planalto, mas sim do Supremo após a demora na realização do processo. “Creio que o senador Davi Alcolumbre tenha errado de forma muito feia com o STF, deixando-o com um ministro a menos e atrapalhando a distribuição de processos. Ele errou em público e deve acertar em público.”

“Havia entre Alcolumbre e o Executivo um grave problema político nesse jogo de acertos, desacertos, conluios e traições que, infelizmente, se tornou a política rasteira do Brasil”, afirmou.

“Quando Alcolumbre marca ou pretende marcar a sabatina de André Mendonça, o que temos é um recuo depois de um ato muito indigno, não ao André Mendonça[…] posso não admirar o André Mendonça, porém, desrespeitá-lo, colocá-lo na geladeira, não é bem o que pessoas como eu fazem. Nós sabemos quem desrespeita e passa dos limites neste país”, completou.

Segundo o comentarista, o momento é de pouca clareza. Ele também fez críticas à atuação da CCJ, classificando como “pífia e irresponsável” a atuação na mudança do regime de aposentadoria do STF. “Sabemos que gerará um impacto e um drama administrativo em todo o Brasil, se, dos 75 anos, os servidores tiverem que se aposentar aos 70, como era em boa parte da última década”, destacou.

O Liberdade de Opinião teve a participação de Thiago Anastácio e Ricardo Baronovsky. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*