Carregando...

Preso, ex-ministro Milton Ribeiro foi levado pela PF por volta das 7h, segundo funcionários

Milton foi levado pela PF por volta das 7h do prédio onde mora em Santos — Foto: Nina Barbosa/g1 Santos

Milton foi levado pela PF por volta das 7h do prédio onde mora em Santos — Foto: Nina Barbosa/g1 Santos

O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi detido na manhã desta quarta-feira (22) pela Polícia Federal (PF), que cumpriu um mandado de prisão da Justiça Federal por suspeita de ter montado um esquema com pastores para priorizar a liberação de verbas do Ministério da Educação a instituições ligadas a religiosos. De acordo com funcionários do prédio do investigado, em Santos, os policiais deixaram o imóvel às 7h acompanhados de Milton.

A TV Globo apurou que Milton Ribeiro e os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura são alvos de mandados de prisão.

Uma fonte da PF em São Paulo disse à TV Tribuna que Milton Ribeiro foi preso em Santos e que ele deve ser levado para Brasília. Segundo o porteiro do prédio em que ele mora, o ex-ministro foi levado por volta das 7h.

O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro. — Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro. — Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Até a última atualização desta reportagem ainda não havia confirmação da prisão dos pastores Santos e Moura.

LEIA MAIS

  • Valdo Cruz: prisão de Milton Ribeiro desgasta Bolsonaro, avaliam aliados
  • Milton Ribeiro confirmou à PF que Bolsonaro pediu a ele para receber pastor
  • Quem são os pastores que atuavam no MEC

A PF investiga Ribeiro por suposto favorecimento aos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura e a atuação informal deles na liberação de recursos do ministério. Há suspeita de cobrança de propina.

PF realiza operação para investigar atuação de religiosos no MEC

PF realiza operação para investigar atuação de religiosos no MEC

O inquérito foi aberto após o jornal "O Estado de S. Paulo" revelar, em março, a existência de um "gabinete paralelo" dentro do MEC controlado pelos pastores.

Dias depois, o jornal "Folha de S.Paulo" divulgou um áudio de uma reunião em que Ribeiro afirmou que, a pedido de Bolsonaro, repassava verbas para municípios indicados pelo pastor Gilmar Silva.

"Foi um pedido especial que o presidente da República fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar", disse o ministro no áudio.

"Porque a minha prioridade é atender primeiro os municípios que mais precisam e, segundo, atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar", complementou Ribeiro.

Após a revelação do áudio, Ribeiro deixou o comando do Ministério da Educação.

Em depoimento à PF no final de março, Ribeiro confirmou que recebeu o pastor Gilmar à pedido o presidente Jair Bolsonaro. No entanto, ele negou que tenha ocorrido qualquer tipo favorecimento.

Em vídeo, o presidente Jair Bolsonarochegou a dizer que botava "a cara no fogo" por Ribeiro e que as denúncias contra o ex-ministro eram "covardia".

Bolsonaro: ‘Eu boto a minha cara no fogo pelo Milton’

Bolsonaro: ‘Eu boto a minha cara no fogo pelo Milton’

O caso envolve suspeitas de corrupção. Prefeitos denunciaram pedidos de propina – em dinheiro e em ouro – em troca da liberação de recursos para os municípios. Milton Ribeiro disse que pediu apuração dessas denúncia à Controladoria-Geral da União.

Tráfico de influência

De acordo com apuração da TV Globo, a operação deflagrada nesta quarta investiga a prática de tráfico de influência e corrupção na liberação de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ligado ao Ministério da Educação.

Quem é Milton Ribeiro?

Quem é Milton Ribeiro?

Foram cumpridos cinco mandados de prisão e 13 de busca e apreensão nos estados de Goiás, São Paulo, Pará e Distrito Federal.

O g1 ligou por volta das 8h para um telefone de Gilmar Santos, mas o número estava desligado.

VÍDEOS: notícias de política

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*