Carregando...

Centrais sindicais e MST lideram mobilização para ato de Lula em São Paulo

As principais centrais sindicais do país e o Movimento Nacional dos Trabalhadores Sem Terra lideram as convocações para um ato com Luiz Inácio Lula da Silva no vale do Anhangabaú, centro de São Paulo, previsto para este sábado (20). Parlamentares também têm ajudado na mobilização em razão de sua penetração em bairros na capital paulista e aderência no interior, bem como o movimento estudantil.

Os organizadores estão preocupados com a frente fria que chega a São Paulo a partir desta quinta-feira (17) trazendo chuva e frio no final de semana. Alguns petistas chegaram a sugerir alterar a data para atrair mais público, mas resolveram manter.

O ato está sendo considerado dentro do comitê petista como o principal deste início de campanha por diversos motivos. Por ser em São Paulo, maior colégio eleitoral do país e berço do petismo. Pelo local, simbólico, no vale do Anhangabaú, tradicional ponto de grandes manifestações da capital paulista. Pela necessidade que a campanha vê de intensificar a campanha de rua de Lula para mobilizar a militância e fazer frente às frequentes agendas de rua do principal adversário, Jair Bolsonaro.

E também para tentar conter o avanço bolsonarista em São Paulo, apontada em pesquisas recentes, em especial a Quaest de sexta-feira passada, que apontou empate técnico entre ambos: Lula com 37% e Bolsonaro com 35%.

Há uma leitura geral na campanha de que essa disputa de 2022, em razão da forte polarização, vai ter peso grande das mobilizações de massa. Logo, a ideia é fazer grandes atos com Lula e manter conjunto de atividades de rua durante toda a campanha. A expectativa é de que haja mais de 40 mil pessoas, mas sob reserva há um trabalho em curso para que o público possa ser o dobro.

“A ideia é ter um lançamento oficial de Lula e de Fernando Haddad em São Paulo. Estamos convidando artistas, haverá três palcos. A capacidade técnica, de segurança do Vale é de 40 mil pessoas. Essa é a expectativa”, afirmou à CNN o secretário-geral do PT-SP, Chico Macena, um dos organizadores do ato.

À frente da mobilização estão as cinco centrais sindicais que apoiam Lula — Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

“A ideia é trazer todo pessoal do estado e da Grande São Paulo para o ato. Todos os sindicalistas, Força, CUT, centrais estão todos mobilizados para fazer um grande evento de abertura oficial da campanha em São Paulo. Estamos todos trabalhando para ser grande. Mostrar unidade em São Paulo é difícil. São Paulo não é um estado fácil para o PT. Normalmente é um estado difícil. Então vamos fazer um evento forte. É uma maneira de consolidar o voto”, disse à CNN o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna.

Debate

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

Fotos – Os candidatos a presidente em 2022


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar