Carregando...

Polícia Civil do Rio abre inquérito para investigar jornalista que escreveu reportagem sobre atuação de agentes no Jacarezinho

A Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu um inquérito para investigar um jornalista do site The Intercept Brasil, autor de reportagem sobre a atuação de policiais na operação na Favela do Jacarezinho.

  • Moradores relatam como estão os dias no Jacarezinho um mês após operação mais letal da história do RJ

O jornalista Leandro Demori é o editor-executivo do site. Na reportagem, do dia 8 de maio, ele cita "evidências apuradas com fontes sobre a possível existência de um grupo de matadores na Coodenadoria de Recursos Especiais, a elite da Polícia Civil no Rio.

Ele diz que " policiais que participaram da ação que deixou 28 mortos no Jacarezinho no dia 6 de maio, "são conhecidos à boca pequena como “Facção da Core" e que estão envolvidos em outras operações que causaram a morte de 41 pessoas.

A reportagem pede que sejam investigadas as circunstâncias e as intenções do que chama de "operações assassinas"e que seja feita uma devassa "na vida dos delegados que comandaram a ação".

Logo depois da publicação da reportagem, o jornalista recebeu uma intimação para prestar depoimento na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, na quinta-feira. A delegacia abriu um inquérito para apurar o crime de calúnia.

A Polícia Civil informou que a investigação foi aberta a pedido de policiais da Core que se sentiram ofendidos com a reportagem.

“Eu acabei fazendo uma denúncia e me espanta que o estado está virando as suas baterias contra denunciante, contra mim que sou jornalista e estou trabalhando estritamente dentro dos limites legais que a constituição e a lei me reservam, inclusive protegendo as fontes que me passaram as informações em relação à denúncia”, diz.

“Em carta ao governador do Rio, Cláudio Castro, a Associação Brasileira de Imprensa protestou contra o que chamou de "decisão arbitrária da delegacia " e pediu medidas de respeito integral ao estado democrático de direito.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*