Carregando...

Depois de mais de 30 cirurgias, menino de 3 anos consegue doador e realiza transplante de rim

Menino de 3 anos faz mais de 30 cirurgias e tem alta após transplante

Menino de 3 anos faz mais de 30 cirurgias e tem alta após transplante

O pequeno Alberto tem apenas 3 anos de idade e mais de 30 cirurgias realizadas. Contudo, nesse início de setembro, ele e a família estão com muitos motivos para comemorar.

Depois de passar grande parte da vida em hospitais, por conta de uma doença renal crônica, Alberto conseguiu um doador e realizou no último mês o transplante de rim.

O menino ficou mais de um ano na fila de espera pelo doador compatível, um adolescente de 17 anos, vítima de um acidente de carro.

"Alberto é uma criança de três anos e oito meses, portadora de doença renal crônica secundária numa linha congênita dos rins do trato urinário. Ele iniciou tratamento dialítico muito cedo, desde o nascimento o comprometimento da sua função renal já era muito grave", explicou a médica.

A família de Alberto vem enfrentando essa batalha pela vida dele desde o nascimento do menino. Em três anos, a criança precisou passar por mais de 30 cirurgias e diversos tratamentos, incluindo quatro diálises por semana.

"Depois que tirou o rim esquerdo, a médica falou: 'Agora, na situação do Alberto, transplante'. Quando nós descobrimos que ele realmente iria entrar numa fila de transplante, foram feitas várias cirurgias para reconstituir a parte urinária dele e foram feitas também vários exames pra ele entrar na fila de transplante", explicou a mãe, Elaine Simeão.

Apesar da sequência de intervenções médicas, Alberto cresceu forte e arrancando sorrisos de todos ao redor com sua simpatia.

Graças ao transplante renal, Alberto conseguiu receber a alta médica e deixou o hospital no último sábado (28).

"Alberto me ensinou a ter paciência, coisa que eu não tinha. Ele me ensinou a ter tranquilidade, confiança e força. Eu não imaginava que uma criança tão pequena tinha tanta força. Eu não imaginava que uma criança tão pequena tinha tanto desejo de viver", comentou Elaine.

Setembro Verde

A partir desta quarta-feira (1) começa a campanha Setembro Verde, que tem como objetivo sensibilizar a população sobre a importância da doação de órgãos.

Para marcar a data, na noite de terça-feira (31), o Palácio Tiradentes recebeu uma iluminação especial. De janeiro a julho deste ano, 748 transplantes de órgãos aconteceram no Estado do Rio de Janeiro.

Alexandre Cauduro, diretor da Central de Transplantes do Rio, explicou que qualquer familiar de até segundo grau pode autorizar a doação de órgãos de pessoas que perderam a vida.

"A doação de órgãos só é possível com consentimento de um familiar até o segundo grau. Então a gente conscientiza a população a dizer para os seus familiares que naquele momento de perda, triste, ele pode realizar um ato de amor, que é realizar uma doação de órgãos", disse o médico.

Todos da família de Alberto são muito agradecidos pelo gesto dos familiares do jovem que doou o rim para que o menino pudesse ter uma nova chance.

"Hoje, ver o Alberto assim, é motivo de agradecer a essa família. É muito importante falar para os nossos familiares: 'Olha, eu quero ser doador'. O Alberto já tava já mais ou menos um ano sem urinar, então, quando ele chegou naquele quarto com uma bolsa de urina foi uma festa muito grande", contou a mãe do menino.

14 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*