Carregando...

Polícia prende 3 PMs suspeitos de integrar milícia de São João de Meriti, na Baixada Fluminense

Preso em operação da Polícia Civil para desarticular milícia que atua em São João de Meriti, na Baixada Fluminense — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Preso em operação da Polícia Civil para desarticular milícia que atua em São João de Meriti, na Baixada Fluminense — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Agentes da Delegacia de Homicídios da Capital fizeram uma operação, na manhã desta quarta-feira (15), para desarticular uma milícia que atua em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Três policiais militares foram presos.

A 1ª Vara Especializada da Capital expediu 13 mandados de prisão e 28 de busca e apreensão.

De acordo com a investigação, a milícia conhecida como “Comunidade amiga” ou “Carlinho Azevedo” atua nas localidades da Malvina, Venda Velha, Parque José Bonifácio e Pau Branco, em São João de Meriti.

A investigação teve início a partir de inquéritos que apuravam homicídios ligados à quadrilha formada por quatro policiais militares e ex-PMs.

Os investigadores identificaram que o grupo atuava explorando sinal de TV clandestino, venda de gás, de água, além de práticas de agiotagem, extorsão a comerciantes com a cobrança de taxas de segurança e controle sobre pontos de mototáxi, mediante ameaças e violência.

Segundo os policiais, o PM Nilson Miranda de Carvalho Neto, conhecido como Samurai ou Ninja, apontado como chefe do grupo, mesmo preso, exercia o controle e recebia valores provenientes das extorsões do grupo.

Além de Nilson Carvalho Neto, foram denunciados:

  • Thiago Gutemberg de Almeida Gomes, conhecido como Curisco;
  • Wesley Silva de Almeida, o Nanaiga ou Chanaiga;
  • Paulo Vitor Viana Firmino, o PV;
  • Bruno Barbosa de Abreu, o Bruno do Pau Branco;
  • Leandro da Silva Arante, o Neguinho Menor;
  • Carlos Henrique Silveira dos Santos, o Nego do Gás;
  • Cristiano Militão de Souza, o Cabelinho;
  • Douglas Alves da Silva, o Cupim;
  • Alan dos Santos Farias, o Paraíba;
  • Alex Bonfim de Lima Silva, o Alex Armeiro;
  • Wallace Patrique Cardozo Lucas;
  • Marcos Antônio Roque de Lima, oTonho da Água.

A operação foi realizada por agentes da Delegacia de Homicídios da Capital, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/RJ), do Ministério Público, e com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ).


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*