Carregando...

Polícia localiza carro de sequestradores de helicóptero no Rio; imagens mostram veículo chegando a heliponto

Vídeo: veja carro com os sequestradores chegando na Lagoa

Vídeo: veja carro com os sequestradores chegando na Lagoa

Agentes da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Draco), da Polícia Civil do Rio de Janeiro, identificaram e apreenderam um Siena preto usado para transportar os dois bandidos que alugaram e sequestraram um helicóptero, na tentativa de resgatar um traficante no Complexo de Gericinó, em Bangu, no domingo (19). O carro pertencia a um motorista de aplicativo.

O homem foi contratado para levar a dupla de Niterói, Região Metropolitana, até o heliponto da Lagoa, na Zona Sul, onde chegaram por volta de 10h45.

No local, eles contrataram o voo de ida e volta, no valor de R$ 14,5 mil, pago em dinheiro. A dupla saiu da Lagoa e voou até o Hotel Fasano, em Angra dos Reis, no Sul do estado.

Carro usado por sequestradores de helicóptero é apreendido pela Draco — Foto: Divulgação

Carro usado por sequestradores de helicóptero é apreendido pela Draco — Foto: Divulgação

Nesta terça (21), a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) transferiu o traficante Márcio Gomes de Medeiros Roque, conhecido como Marcinho do Turano, para o presídio Bangu 1, unidade de segurança máxima.

Marcinho é o principal suspeito de ser o alvo da tentativa de resgate. O criminoso é hoje o presidente de uma comissão de presos da maior facção do Rio de Janeiro, o Comando Vermelho.

Marcinho do Turano, traficante apontado pela polícia como alvo de tentativa de resgate — Foto: Reprodução

Marcinho do Turano, traficante apontado pela polícia como alvo de tentativa de resgate — Foto: Reprodução

Pelas câmeras do circuito interno, a Seap identificou uma movimentação considerada atípica do preso, que está em regime semiaberto no Vicente Piragibe.

  • Leia também:
  • O que se sabe e o que falta esclarecer no caso de piloto feito refém em voo
  • Sequestro de helicóptero: ‘Foi muito esquisito o que aconteceu’, diz governador do RJ
  • Piloto de helicóptero é rendido no ar e faz manobra arriscada sobre batalhão; VÍDEO

Piloto faz manobra em helicóptero em cima de batalhão após ser rendido por passageiros

Piloto faz manobra em helicóptero em cima de batalhão após ser rendido por passageiros

As investigações da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizada (Draco) indicam que era nessa unidade que seria feito o resgate, segundo relato do piloto do helicóptero, o policial civil Adonis Lopes de Oliveira.

Adonis, que contou ter sido sequestrado e disse que chegou a entrar em luta corporal em pleno voo, reconheceu o local (com duas quadras de futebol), que havia sido indicado pelos criminosos, por meio de uma foto, como sendo o ponto exato para resgatar o preso.

Nas imagens analisadas pela Inteligência da Seap, Marcinho do Turano foi um dos últimos a deixar a quadra, depois que a cadeia fechou, por volta das 17h20.

Polícia investiga se sequestro de helicóptero no Rio foi encomendado por facção criminosa

Polícia investiga se sequestro de helicóptero no Rio foi encomendado por facção criminosa

A TV Globo apurou que, na facção, há uma regra de que não é permitido a tentativa de fuga com risco de violência em dias de visita. Domingo foi dia de visita, mas ela durou até as 16h.

O plano seria fazer o resgate pouco antes da entrada dos detentos de volta para as galerias. Marcinho aparece nas imagens com outros três presos, já calçando um par de tênis, lavando a quadra.

O secretário da Seap, Fernando Veloso esteve esta tarde de terça no Complexo de Gericinó visitando várias unidades prisionais. A equipe de engenharia da secretaria está fazendo uma análise para tentar criar uma defesa, através de cabos de aço, que impedirão pousos na área da penitenciária Vicente Piragibe.

Entenda o caso

Segundo a polícia, os passageiros contrataram um voo para Angra dos Reis, no sul fluminense, com previsão de retorno ao Rio na segunda-feira. No final da tarde de domingo, eles informaram que voltariam naquele dia. Como o piloto que fez o voo não estava se sentindo bem, solicitou ajuda de outro colega, Adonis.

Ele conta que foi rendido, já no ar, com uma arma, e recebeu a ordem de ir até o Complexo Penitenciário de Bangu, que fica localizado ao lado do 14ºBPM, no mesmo bairro.

Os criminosos queriam que o piloto sobrevoasse a penitenciária, segundo informações da polícia. A Assessoria de Comunicação da Polícia Civil confirmou que o piloto Adonis Lopes chegou a entrar em luta corporal com os homens durante o voo e que eles desistiram do plano quando perceberam que o helicóptero poderia cair.

Em nota, a polícia informou que quando sobrevoava o batalhão, o piloto fez uma manobra para simular um queda e a dupla deixou que ele voltasse a pilotar. Ainda segundo a polícia, os criminosos ordenaram que o piloto voasse até Niterói, na Região Metropolitana. Os homens pularam da aeronave e fugiram para uma região de mata.

O caso foi registrado na Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO), para identificar os passageiros e esclarecer os fatos.

Arte mostra o que aconteceu no sequestro do helicóptero no RJ, segundo o relato do piloto Adonis Lopes — Foto: Infografia: Wagner Magalhães/g1

Arte mostra o que aconteceu no sequestro do helicóptero no RJ, segundo o relato do piloto Adonis Lopes — Foto: Infografia: Wagner Magalhães/g1


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*