Carregando...

Homem é condenado a mais de 25 anos de prisão por morte de ex-namorada

Luiza Braga do Nascimento foi encontrada morta na casa do ex-namorado — Foto: Reprodução

Luiza Braga do Nascimento foi encontrada morta na casa do ex-namorado — Foto: Reprodução

Bruno Ferreira Correia foi condenado na quinta-feira (25) a 25 anos e 4 meses de prisão pelo feminicídio de sua ex-namorada, a estudante da Uerj Luiza Nascimento Braga, morta com diversas facadas no pescoço e no rosto.

Luiza foi encontrada morta em 22 de junho de 2019, depois de desaparecer no dia 19 de junho. Ela tinha passado a noite na casa de Bruno, com quem havia terminado recentemente, no bairro do Anil, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio.

No interrogatório, por orientação da defesa, Bruno respondeu apenas às perguntas formuladas pelo defensor público e pelos jurados. Ele causou revolta durante o julgamento ao responder "viúvo”, quando questionado sobre seu estado civil. Parentes e amigos da vítima que assistiam ao julgamento ficaram indignados.

Bruno disse que, no dia do assassinato, enquanto Luiza tomava banho, ele resolveu examinar o celular da estudante, tendo encontrado mensagens e fotos que indicavam uma traição.

Quando ela saiu do banho, os dois começaram a brigar e Luiza teria tentado tirar o celular das mãos de Bruno. Ele afirma que, a partir desse momento, não se lembra de mais nada.

Duas testemunhas de acusação foram ouvidas: uma colega de Luiza do curso de Cinema que foi a última pessoa a vê-la com vida, e a mãe de Luiza. Ouve uma testemunha de defesa, vizinha dos avós que criaram Bruno desde pequeno, em Nova Friburgo, na Região Serrana do estado.

Relembre o caso

Luiza desapareceu no dia 19 de junho de 2019, depois de ter passado a noite na casa de Bruno, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. Ela e Bruno haviam terminado pouco tempo antes. Ele disse que estava se sentindo mal e pediu que ela o acompanhasse ao hospital. Ela avisou à família que iria com ele, mas desapareceu.

Depois do desaparecimento, seu pai ainda recebeu uma mensagem da filha, mas desconfiou não ser dela. Sem informações, no dia 22 de junho os pais da vítima decidiram ir até a residência onde Luiza havia morado com o acusado. No local, encontraram o corpo da jovem de 25 anos ocultado por um cobertor e com diversas facadas no pescoço e no rosto. Após o crime, Bruno fugiu para Nova Friburgo, onde foi preso 46 dias depois.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*