Carregando...

RJ foi o único estado entre 5 onde número de operações policiais não caiu em 2 anos, segundo estudo

Vítima de operação na Vila Cruzeiro, no Rio, chega ao Hospital Getúlio Vargas (arquivo). — Foto: Bruna Prado/AP

Vítima de operação na Vila Cruzeiro, no Rio, chega ao Hospital Getúlio Vargas (arquivo). — Foto: Bruna Prado/AP

O Rio de Janeiro foi o único estado entre cinco analisados pela Rede de Observatórios da Segurança que, em dois anos - de junho de 2020 a junho de 2022 -, não viu cair o número de operações policiais.

Os resultados do estudo da instituição foram divulgados nesta quinta-feira (18) no boletim batizado de "Raio-x das ações de policiamento". Bahia, Ceará, Pernambuco e São Paulo, ao contrário do RJ, registraram uma "leve queda" nas incursões da polícia (veja mais abaixo o detalhamento).

Somados, todos os cinco estados monitorados tiveram 20.241 eventos de policiamento no período.

Comparação dos últimos 2 anos:

  • RJ - 2.854 ações de junho/20 a julho/21; e 3.024 de julho/21 a junho/22

Policiais civis e militares fazem operação na comunidado do Jacarezinho (arquivo). — Foto: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo

Policiais civis e militares fazem operação na comunidado do Jacarezinho (arquivo). — Foto: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo

Os dados levantados pela Rede de Observatórios indicam que nesses estados foi registrada uma ação de policiamento a cada hora. E, ainda, que nos dois anos as ocorrências resultaram em 1989 mortes - ou uma morte a cada 10h em ação da polícia.

Aumento de ações perto da eleição

Outra conclusão da análise foi que o número de operações cresceu 18% no segundo trimestre deste ano, coincidindo com a proximidade das eleições.

Para os pesquisadores, esse dado indica que "a quantidade ações policiais é sensível aos contextos políticos e cenários eleitorais".

RJ na contramão

Em vez de diminuir, o número de ações policiais no Rio de Janeiro aumentou nesses dois anos. Os autores do estudo lembram que isso ocorreu mesmo existindo uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) determinando que as ações fossem restritas a casos excepcionais.

Em junho de 2020, o ministro Edson Fachin, relator da arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) 635, a ADPF das Favelas, decidiu em liminar restringir as operações policiais em comunidades do RJ durante a pandemia de Covid.

Na decisão, Fachin citou a morte do menino João Pedro, em São Gonçalo. Policiais civis que participaram da operação, em maio de 2020, são réus na Justiça pelo assassinato do adolescente.

'Guerra às drogas'

Ainda que "outros flagrantes" representem metade dos eventos de policiamento mapeados pela Rede de Observatórios, os pesquisadores ressaltam que a "guerra às drogas" é a justificativa central das políticas de segurança pública nos estados estudados.

A repressão ao tráfico aparece em segundo lugar entre as motivações identificadas no estudo: 21% entre 2020 e 2021, e 24% entre 2021 e 2022.

Também chama atenção dos autores o aumento de operações motivadas por crimes ao patrimônio, com crescimento de 614% em São Paulo, e 240% no Rio de Janeiro com 240%.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar