Carregando...

Sessão de cassação de Gabriel Monteiro tem faixas, torcida organizada e gritos de guerra

O vereador Gabriel Monteiro (PL) durante a sessão desta quinta-feira (18): clima de torcida nas galerias da Câmara — Foto: Renan Olaz/CMRJ

O vereador Gabriel Monteiro (PL) durante a sessão desta quinta-feira (18): clima de torcida nas galerias da Câmara — Foto: Renan Olaz/CMRJ

O clima nas galerias da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro durante a sessão para a cassação de Gabriel Monteiro nesta quinta-feira (18) estava semelhante ao de um estádio de futebol, com torcidas prós e contrárias ao youtuber.

Desde o início da sessão, às 16h, seguranças da Câmara se dividiram entre as duas galerias do plenário, onde estavam os apoiadores de Gabriel Monteiro e os críticos a ele.

Faixas e cartazes também foram colocadas no local para manifestar a opinião das galerias.

Apoiadores de Gabriel Monteiro durante sessão de cassação — Foto: Renan Olaz/CMRJ

Apoiadores de Gabriel Monteiro durante sessão de cassação — Foto: Renan Olaz/CMRJ

Do lado dos apoiadores de Gabriel, faixas como "Gabriel Monteiro guerreiro brasileiro" e "Contra a máfia do reboque" podiam ser lidas.

Já o lado dos manifestantes a favor da cassação de Gabriel Monteiro, uma grande faixa dizia: "Vereadores, imaginem se fosse a filha de vocês".

Gritos de guerra

Assim que os vereadores começaram a falar, sendo o primeiro o relator do Conselho de Ética, vereador Chico Alencar, gritos de guerra começaram a ser entoados: "Não tem caô, estuprador não pode ser vereador", “Fora, estuprador”, "Ão, ão, ão, vai sair de camburão" e “Ou, ou, ou, é o melhor vereador”.

O presidente da Câmara Municipal, Carlo Caiado (sem partido), precisou intervir em vários momentos e chegou a ameaçar retirar as pessoas que não respeitassem os momentos de fala dos vereadores.

"Eu peço que a segurança possa identificar quem não estiver respeitando. Que esses possam ser retirados das galerias", disse Caiado.

Carro de som do lado de fora

Do lado de fora da Câmara dos Vereadores, um carro de som tocava algumas falas que seriam de Gabriel Monteiro com situações sexuais.

"Eu gosto muito de novinha": novo áudio mostra vereador Gabriel Monteiro assumindo ter feito sexo com menor

"Eu gosto muito de novinha": novo áudio mostra vereador Gabriel Monteiro assumindo ter feito sexo com menor

Acusações contra o youtuber

Gabriel Monteiro foi levado ao Conselho de Ética por uma série de acusações, como as de assédio sexual, moral e tentativa de estupro. Ele é acusado de intimidações, agressões e de cometer crimes contra menores de idade.

  • Em áudio, Gabriel Monteiro teria admitido sexo com menores: 'Gosto muito de novinhas'

As acusações foram investigadas pelo Conselho de Ética da Câmara, e também pela Justiça. Ao todo, sete pontos ajudaram a desabonar a conduta do agora ex-vereador. São eles:

  • filmagem de cenas de sexo com menor;
  • exposição vexatória de crianças;
  • exposição vexatória de pessoas em situação de rua;
  • assédio moral e sexual contra assessores do seu mandato;
  • perseguição a vereadores para retaliação ou promoção pessoal;
  • uso de servidores em sua empresa privada;
  • denúncia de estupro.

Relembre o caso

Ex-funcionários do vereador Gabriel Monteiro relataram episódios de assédio moral e sexual, agressões físicas e afirmaram que alguns de seus vídeos postados em redes sociais foram forjados.

As denúncias foram feitas em uma reportagem do Fantástico, exibida no dia 27 de março. No mês seguinte, a TV Globo teve acesso a novas denúncias de estupro contra o parlamentar. Três mulheres diferentes, com histórias parecidas de relacionamentos consentidos que acabaram em violência.

Fantástico mostra com exclusividade trechos do depoimento de suposta vítima de Gabriel Monteiro

Fantástico mostra com exclusividade trechos do depoimento de suposta vítima de Gabriel Monteiro

Em maio, o vereador Gabriel Monteiro passou à condição de réu depois que a Justiça aceitou a denúncia feita em abril pelo Ministério Público (MPRJ) por filmagem feita por ele de relações sexuais com uma adolescente.

O MP narra que os dois trocaram mensagens e que, em determinado momento, Gabriel convidou a adolescente para ir à mansão dele, num condomínio de luxo na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Também de acordo com a promotoria, passados cinco meses desde o primeiro encontro, o parlamentar usou o próprio celular para filmar a adolescente enquanto eles tinham relações sexuais.

Ainda em abril, Gabriel Monteiro foi alvo de uma operação da Polícia Civil para investigar justamente o vazamento de vídeos íntimos com uma adolescente.

Réu em outro processo

No final de junho, o MPRJ também denunciou o vereador por importunação sexual e assédio sexual. No dia 5 de julho, a Justiça aceitou a denúncia e Gabriel também se tornou réu nesse processo.

Nesse caso, a investigação apurava os possíveis crimes de assédio sexual e importunação sexual contra a ex-assessora do parlamentar Luiza Caroline Bezerra Batista, de 26 anos.

Na denúncia, a promotora Lenita Machado Tedesco cita que a ex-assessora era constantemente constrangida a participar de vídeos modificados, "não podendo deles reclamar", uma vez que era ameaçada de demissão.

Gabriel Monteiro na saída de depoimento na 42ªDP (Recreio dos Bandeirantes) na tarde desta quinta-feira (7) — Foto: Raoni Alves/ g1

Gabriel Monteiro na saída de depoimento na 42ªDP (Recreio dos Bandeirantes) na tarde desta quinta-feira (7) — Foto: Raoni Alves/ g1


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar