Carregando...

Torcedor do Flamengo é preso após assediar repórter no Maracanã

Um torcedor do Flamengo foi preso após assediar a repórter Jéssica Dias, da ESPN, antes da partida desta quarta-feira (7) no Maracanã, válida pela semifinal da Libertadores — o Rubro-Negro venceu o Vélez por 2 a 1, somou 6 a 1 no agregado e garantiu a vaga na final, contra o Athletico-PR.

O nome do torcedor não foi divulgado. Jéssica acompanhava a chegada da torcida do lado de fora do estádio quando o homem, sem autorização, deu um beijo em seu rosto.

Torcedor do Flamengo beija repórter da ESPN Jéssica Dias — Foto: Reprodução/ESPN

Torcedor do Flamengo beija repórter da ESPN Jéssica Dias — Foto: Reprodução/ESPN

Segundo a ESPN, a equipe que acompanhava Jéssica conseguiu segurar o assediador e pediu a PMs que o levassem para a delegacia. Uma audiência de custódia foi realizada ainda nesta quinta-feira, no Juizado Especial Criminal, e a prisão dele foi decretada.

O homem foi levado para a 19ª DP (Tijuca).

Torcedor do Flamengo foi levado ao Jecrim do Maracanã — Foto: Cahê Mota/ge

Torcedor do Flamengo foi levado ao Jecrim do Maracanã — Foto: Cahê Mota/ge

Repúdio

O Flamengo e a ESPN repudiaram a atitude do rubro-negro.

“O Clube de Regatas do Flamengo repudia o assédio cometido por um torcedor rubro-negro com a jornalista da ESPN Jéssica Dias durante reportagem antes da partida desta noite. É lamentável que atos repugnantes como este, que não representam a Nação Rubro-Negra, ainda aconteçam.”

“Nossa repórter Jéssica Dias foi hoje vítima de assédio na porta do Maracanã, onde trabalhava na cobertura de Flamengo x Velez. Atitudes como essa não cabem hoje no nosso planeta, seja em um jogo de futebol ou na casa de qualquer mulher. Nossa equipe que acompanhava a Jéssica conseguiu segurar o agressor e pediu à polícia que o encaminhasse para a delegacia do Maracanã.

Jéssica, como toda mulher deve fazer, registrou boletim de ocorrência. A ESPN e a Disney repudiam qualquer tipo de agressão contra as mulheres. A empresa vai dar todo apoio a nossa repórter e esperamos que o agressor seja punido com todo o rigor que a lei permite.”


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*