Carregando...

Hospital de Campo Bom registra ocorrência por suspeita de sabotagem no sistema de oxigênio

Sede do Hospital Lauro Reus, em Campo Bom — Foto: Hospital Lauro Reus/Divulgação

Sede do Hospital Lauro Reus, em Campo Bom — Foto: Hospital Lauro Reus/Divulgação

O Hospital Lauro Réus, em Campo Bom, na Região Metropolitana de Porto Alegre, informou nesta terça-feira (8) que registrou uma ocorrência por suspeita de sabotagem após um incidente que fez disparar o alarme do sistema de oxigênio na instituição, no dia anterior.

Em março, na mesma manhã em que uma falha na distribuição do gás foi constatada, seis pacientes, internados com coronavírus e utilizando suplementação de oxigênio, faleceram. O caso é investigado pela Polícia Civil e Ministério Público.

  • Relatório aponta que havia oxigênio reserva, mas não chegou aos pacientes em hospital de Campo Bom

Na segunda-feira, após o alarme disparar, o local foi vistoriado e, segundo a empresa fornecedora Air Liquide, a válvula do tanque principal de oxigênio estava "parcialmente fechada" indevidamente. Mesmo assim, como informou o hospital, os pacientes internados não foram afetados e não foram registradas mortes.

"Verificou-se ainda que não é possível qualquer pessoa alcançar o equipamento por fora da central de oxigênio, sendo necessário abrir um cadeado. Imagens de uma câmera de segurança foram solicitadas pela polícia na expectativa de verificação de movimentação suspeita no local", explica o hospital, em nota.

Segundo a empresa, a câmera de segurança na central do oxigênio não estava funcionando na manhã de segunda. Leia a nota na íntegra abaixo.

A ocorrência foi registrada na Delegacia de Polícia Regional de Campo Bom. Segundo a delegada Raquel Peixoto, que responde temporariamente pela delegacia, Raquel Peixoto, foram feitas diligências no hospital nesta terça-feira. Outros três inquéritos apuram mortes ocorridas no hospital, desde o dia 19 de março.

O hospital informa que também instaurou uma sindicância interna para apurar o motivo de o alarme ter disparado, habilitou duas câmeras de monitoramento na central de oxigênio, implementou ronda móvel de fiscalização no local, além de reforço na estrutura.

Nota da empresa Air Liquide sobre alarme

Na manhã desta segunda-feira, 7 de junho de 2021, a Air Liquide foi acionada pelo time de manutenção do Hospital Lauro Reus para verificar a queda na pressão do sistema de distribuição de oxigênio.

A Air Liquide atendeu prontamente ao chamado e, ao chegar no Hospital, constatou que a válvula do tanque de oxigênio estava indevidamente fechada e o abastecimento sendo feito pelos cilindros da central backup, que estavam integralmente disponíveis. A empresa desconhece os motivos pelos quais se deu o fechamento da válvula do tanque.

O técnico da Air Liquide procedeu à reabertura da válvula e o abastecimento do Hospital voltou a ser feito pelo tanque de oxigênio. Foi feita ainda a reposição dos cilindros da central backup utilizados enquanto a mesma esteve acionada. Em nenhum momento o Hospital ficou sem oxigênio.

Durante o atendimento da Air Liquide, constatou-se também que as câmeras de segurança posicionadas diante do tanque de oxigênio continuavam não funcionando, o que foi confirmado pelo responsável pela manutenção do Hospital Lauro Reus. Esse monitoramento, bem como a gestão do suprimento de oxigênio, cabem à unidade hospitalar.

A nova equipe que cuida da manutenção do Hospital, inclusive, já recebeu treinamento da Air Liquide sobre como proceder em situações de emergência. A empresa reitera que a ocorrência foi prontamente atendida e que não houve desabastecimento de oxigênio na unidade.

A segurança e o bem-estar dos pacientes, clientes e funcionários é uma prioridade absoluta para a Air Liquide

Air Liquide Brasil

VÍDEOS: Tudo sobre o RS

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*