Carregando...

Rondônia tem 2,4 mil jovens de 15 a 19 anos assassinados em uma década, revela Atlas da Violência

 Mortalidade, geralmente, é causada por conflitos frutos da ação do crime organizado— Foto: TV Globo

Mortalidade, geralmente, é causada por conflitos frutos da ação do crime organizado — Foto: TV Globo

Ao menos 2,4 mil jovens de 15 a 19 anos foram assassinados em Rondônia entre 2009 e 2019, segundo dados inéditos divulgados nesta semana pelo Atlas da Violência.

Os dois anos com mais homicídios de adolescentes e jovens são 2015 e 2016, com 261 vítimas mortas em cada ano, respectivamente.

  • LEIA TAMBÉM:Mortes violentas sem causa determinada crescem 326% em Rondônia

O Atlas da Violência indica ser um fator global que homens adolescentes e jovens entre 15 e 29 anos são os que mais apresentam risco de serem vítimas de homicídios e "os fatores estruturais que causam a mortalidade violenta são os conflitos frutos da ação do crime organizado e das mortes decorrentes do uso de armas de fogo".

Abaixo, veja o número de homicídios de jovens a cada ano e a taxa de mortalidade:

2015 e 2016 foram os anos com mais assassinatos de jovens em Rondônia — Foto: G1

2015 e 2016 foram os anos com mais assassinatos de jovens em Rondônia — Foto: G1

Mesmo com o número de 2,4 mil assassinatos de jovens na década, a variação observada na série histórica aponta para uma queda acumulada na taxa de mortalidade violenta juvenil no estado.

Em Rondônia houve uma redução de 33,3% na letalidade de adolescentes e jovens entre 2009 e 2019.

No entanto, para especialistas de segurança pública, "a tragédia da juventude perdida continua se apresentando como um problema endêmico".

Homens são os mais assassinados

O Atlas também indica que em Rondônia, assim como no país, a característica mais marcante da letalidade juvenil é o sexo, pois, em média, mais de 80% das vítimas em Rondônia são do sexo masculino.

Em 2016, por exemplo, dos 261 assassinatos de jovens entre 15 e 19 anos, 246 eram homens (uma taxa de 98% por 100 mil jovens homens).


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*