Carregando...

Suspeito mata homem de 43 anos por ciúmes da ex em distrito de Porto Velho

Caso aconteceu em distrito de Nova Califórnia — Foto: Reprodução/TV TEM

Caso aconteceu em distrito de Nova Califórnia — Foto: Reprodução/TV TEM

Um homem de 43 anos foi morto após ser chamado pelo suspeito em frente a casa dele no distrito de Nova Califórnia, em Porto Velho, na madrugada desta sexta-feira (5). A vítima foi identificada como Wellington Oliveira Santos e teria sido assassinada porque o suspeito estava com ciúmes de uma ex.

De acordo com o boletim de ocorrência, por volta de 04h35 a ex-esposa de Wellington foi na residência dele e viu que o ex estava com ferimentos de balas e não apresentava sinais vitais.

Diante da cena, a mulher foi ao batalhão da Polícia Militar (PM) de Nova Califórnia para informar o que havia ocorrido. A PM e a ambulância do distrito foram ao ao imóvel, mas no local a equipe médica confirmou o óbito de Welington Oliveira.

À polícia, testemunhas disseram que a vítima estava em casa quando um homem o chamou do lado de fora da residência. Wellington saiu do interior da casa e abriu a porta para conversar com o suspeito.

Logo em seguida Wellington começou a correr rumo ao quintal. Foi nesse momento que testemunhas disseram ter ouvido disparos de arma de fogo, acertando Welington.

Segundo boletim policial, antes mesmo que testemunhas pudessem ligar para o 190 da PM, o suspeito apareceu no local do crime, colocou a arma na cabeça das testemunhas e fez ameaças de morte caso elas não entregassem os aparelhos celulares, inclusive o da vítima.

Segundo as testemunhas, no telefone de Wellington havia conversas dele com o suspeito, que o ameaçava de morte porque estava com ciúmes da ex-mulher.

O boletim de ocorrência não fala sobre o grau de envolvimento que Wellington Oliveira tinha com a ex do suspeito.

Diante da situação, as polícias de Extrema e de Nova Califórnia fizeram buscas nas proximidades para localizar o suspeito, sem êxito.

Foi feito o isolamento no local onde o corpo de Wellington estava e o caso é investigado pela Polícia Civil.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*