Carregando...

Empresas de ônibus reduzem em 50% rotas de Boa Vista a Manaus: 'Não é momento para passeios'

Poltronas do corredor estarão bloqueadas para venda e uso a partir desse sábado (16) — Foto: Asatur Turismo/Divulgação

Poltronas do corredor estarão bloqueadas para venda e uso a partir desse sábado (16) — Foto: Asatur Turismo/Divulgação

Quatro empresas que fazem o transporte de passageiros entre Boa Vista e Manaus, distantes 748,5 km, reduziram em 50% a quantidade de rotas e de poltronas à venda nos ônibus. Ocolapso na saúde do Amazonas em razão do coronavírus e a falta de passageiros saindo de Roraima são os principais motivos da decisão.

A medida foi discutida na manhã dessa sexta-feira (15) em reunião do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas (Setrans). A decisão passa a valer a partir desse sábado (16) nas rotas da Amatur, Asatur, Caburaí e Eucatur.

Agora, serão vendidas apenas passagens para as poltronas da janela e as do corredor serão bloqueadas. Também serão reforçados os cuidados sanitários como obrigatoriedade de máscara, uso de álcool gel e desinfecção dos ônibus, conforme o empresário e representante do Setrans, Renildo Lima.

"Nós somos um serviço essencial, então as pessoas precisam nesse momento. Mas, o interessante é que as pessoas viajem apenas se houver necessidade. Acredito que não é o momento para passeios", disse o empresário.

Ainda conforme Lima, os horários das rotas também foram alterados na Rodoviária em Manaus, por conta do decreto do governador Wilson Lima que proíbe a circulação de pessoas na cidade entre 19h e 6h. As saídas para Boa Vista, que antes eram até às 21h, agora são das 17h às 18h30.

O Amazonas registrou nessa quinta (14) o maior número de novos casos desde o inicio da pandemia. Foram 3.816 casos confirmados para a Covid-19, sendo 2.516 somente em Manaus, além de mais 51 mortes. O estado enfrenta uma crise com falta de oxigênio e precisou transferir pacientes para outros seis estados devido à superlotação nos hospitais.

Por conta da divisa entre os dois estados e o grande fluxo rodoviário de passageiros, o governo de Roraima instalou nessa quinta-feira (14) barreiras sanitárias na vila do Jundiá, região de Rorainópolis, Sul do estado.

As notícias sobre a capital amazonense cancelaram os planos da microempresária Bárbara Sicsú, de 26 anos, que pretendia passar as férias com o namorado em Manaus. Eles planejaram a viagem desde antes do inicio da pandemia, em março de 2020, mas com o aumento de casos no Amazonas, decidiram ficar em Boa Vista.

"Cancelamos a viagem porque não tinha condições de viajar, tanto por questão de cuidado nosso de não pegar o vírus, quanto de se sensibilizar pelas pessoas que estão passando por um momento bem ruim lá em Manaus", disse.

Ônibus vazios

Ônibus partiu de Boa Vista para Manaus com apenas seis passageiros — Foto: Arquivo Pessoal

Ônibus partiu de Boa Vista para Manaus com apenas seis passageiros — Foto: Arquivo Pessoal

Apenas seis pessoas partiram em um dos ônibus com direção à Manaus na noite dessa quinta. O veículo possui capacidade para 56 passageiros.

A situação tem se agravado a cada dia, conforme Makson Wesles, administrador da Rodoviária Internacional José Amador de Oliveira, em Boa Vista. A movimentação maior é de passageiros que saem do estado vizinho. Segundo ele, muitos estão com medo.

"As rotas estão em horários reduzidos para Manaus. Ontem o movimento caiu de vez. Está vindo mais gente de lá, do que saindo daqui [Boa Vista]. De Manaus para cá, hoje veio uma média de 44 passageiros voltando com medo da Covid-19", disse.

Roraima entrou na fase grave da pandemia, conforme anúncio do governo. O estado já contabiliza 70.475 infecções e 805 mortes pela doença até essa quinta-feira (14). O Hospital Geral, único para tratamento dos casos graves, está com 100% de ocupação nos leitos de UTI e semi-intensivos, e 96% na enfermaria.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar