Carregando...

Após morte de comerciante em assalto, Pacaraima registra tensão e disparo de fogos de artifício contra venezuelanos

Pacaraima, no Norte de RR, registra tumulto após morte de comerciante em assalto

Pacaraima, no Norte de RR, registra tumulto após morte de comerciante em assalto

Pacaraima, na fronteira do Brasil com a Venezuela, registrou nessa quinta-feira (25) momentos de tensão e até disparos de fogos de artifício contra venezuelanos, após a morte do comerciante Djalma Alves Lobo, de 51 anos, esfaqueado no peito durante um assalto na noite dessa quarta-feira (24).

A Polícia Militar não divulgou a identidade e nacionalidade dos suspeitos pelo crime.

O comerciante chegou a ser levado ao Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista, mas não resistiu e morreu na madrugada desta quinta-feira. Ele era dono do bar onde ocorreu o assalto.

Além do assalto ao bar de Djalma, Pacaraima, no Norte de Roraima, registrou outros quatro roubos envolvendo armas de fogo e armas brancas, apenas na noite da quarta-feira.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram a correria dos migrantes, incluindo crianças, em direção ao abrigo da Operação Acolhida (assista acima). Pela manhã desta quinta-feira, a Força Tarefa Humanitária disse que pessoas "soltaram fogos em direção aos venezuelanos nas ruas da cidade e fugiram", mas que não houve manifestação na frente do abrigo.

Moradores fazem manifestação em Pacaraima após morte de comerciante — Foto: Arquivo Pessoal/Wilha Melo

Moradores fazem manifestação em Pacaraima após morte de comerciante — Foto: Arquivo Pessoal/Wilha Melo

Moradores do município organizaram uma manifestação na tarde desta quinta-feira, com concentração ao lado na quadra Thelma Vasconcelos Tupinambá e passagem por diversas ruas de Pacaraima. Procurada, a PM, por meio do Comando de Policiamento da Capital, informou ter enviado reforço policial a cidade para evitar "quebra da ordem".

"No momento há diálogo juntamente com as outras instituições de segurança, Polícia Federal, Exército Brasileiro e Polícia Rodoviária Federal para minimizar os impactos dessa possível manifestação", complementou a PM em nota.

Esta não é a primeira vez que Pacaraima registra manifestações, tumulto e atos de violência contra migrantes. Em agosto de 2018, venezuelanos foram expulsos do país e tiveram pertences queimados após um assalto contra um comerciante da cidade. À época, o Exército informou que cerca de 1,2 mil venezuelanos retornaram a Venezuela após o conflito.

Distante 215 km da capital Boa Vista, Pacaraima é a principal porta de entrada dos venezuelanos no Brasil em razão da longa crise política, econômica e social instalada no país. A Venezuela vive um colapso econômico e humanitário, com hiperinflação e milhares de venezuelanos têm fugido para outras partes da América Latina.

Leia outras notícias do estado no g1 Roraima.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*