Carregando...

Família é condenada a quase 80 anos de prisão por duplo homicídio durante festa de Natal em SC

Sessão do júri que condenou 4 integrantes de uma mesma família em São José — Foto: TJSC/Divulgação

Sessão do júri que condenou 4 integrantes de uma mesma família em São José — Foto: TJSC/Divulgação

Três homens e uma mulher de uma mesma família foram condenados a 78 anos de prisão, somadas todas as penas, por dois assassinatos cometidos em uma festa de Natal em São José, na Grande Florianópolis. As duas vítimas foram mortas a facadas durante uma confraternização de uma empresa. Cabe recurso.

O crime ocorreu na madrugada de 24 de dezembro de 2020. A sentença foi dada em tribunal do júri de terça-feira (16). O g1 não conseguiu contato com a defesa dos réus. Não foi dado a eles o direito de recorrer em liberdade.

Denúncia

As mortes ocorreram por volta de 1h no bairro Serraria. A PM informou que as vítimas foram um homem de 26 anos sem antecedentes criminais e um de 37 anos com passagens pela polícia.

Pela denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), houve o desentendimento entre dois homens, uma mulher e uma adolescente contra um casal, cujo marido foi uma das vítimas. Inicialmente, ele foi atingido por um copo de vidro, que quebrou na cabeça dele, após ele tentar defender a esposa.

LEIA TAMBÉM:

  • Dois homens morrem após briga em festa em São José

Conforme a denúncia, a mulher condenada instigava os familiares a agredirem esse homem e até se armou com um facão.

Depois dessa briga com a vítima, a família deixou o local. Porém, voltou 15 minutos depois com mais um homem, o filho da ré. Ele matou a facadas um outro homem, que estava encostado no carro da vítima que já havia sido agredida anteriormente.

Depois, o filho e os outros dois homens da família mataram com 10 facadas o marido que tentou defender a esposa.

Penas

O Conselho de Sentença reconheceu que o filho, que não estava na confraternização, matou os dois homens por motivo torpe e sem permitir a defesa das vítimas. Por conta disso, ele foi condenado a 28 anos de prisão, em regime fechado. O homem que estava encostado no carro, inclusive, não tinha conhecimento da briga da família com a outra vítima.

A ré foi sentenciada à pena de 17 anos e quatro meses, por uma das mortes e por corrupção de menores. Como ela tem filhos menores de idade, teve o direito a prisão domiciliar, que pode ser revertido a qualquer momento.

Os outros dois homens da mesma família, que estavam desde o início da confraternização, foram condenados à pena de 16 anos e quatro meses de prisão cada, em regime fechado, pela morte do marido que defendeu a esposa.

VÍDEOS: mais assistidos do g1 SC nos últimos 7 dias

50 vídeos

Veja mais notícias do estado no g1 SC


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar