Carregando...

Família diz que suspeito de estuprar e violentar professora em SP a matou por ciúmes: 'Violento e possessivo'

Polícia Civil pediu pela decretação da prisão temporária de namorado de professora que morreu após ser estuprada e violentada em São Vicente, SP — Foto: Reprodução/Redes Sociais e Arquivo Pessoal

Polícia Civil pediu pela decretação da prisão temporária de namorado de professora que morreu após ser estuprada e violentada em São Vicente, SP — Foto: Reprodução/Redes Sociais e Arquivo Pessoal

A família da professora aposentada Cleonice Antônio Santos, que morreu de infecção generalizada após ser violentada com um cabo de vassoura, alega que o namorado da vítima apresentava comportamento agressivo e mantinha a mulher em um relacionamento abusivo. Conforme apurado pelo g1, a Polícia Civil já emitiu o mandado de prisão temporária de Manoel Acacio.

O crime aconteceu em São Vicente, no litoral de São Paulo. À TV Tribuna, emissora afiliada à Rede Globo, a filha da vítima, que prefere não se identificar, alegou que o homem era "possessivo, agressivo e ciumento". Além disso, a mulher relatou que a mãe era constantemente vista com manchas roxas, que seriam marcas de supostas agressões por parte do suspeito. A corporação também ouviu parentes de Manoel, que rebateram as acusações e afirmam que o relacionamento era saudável.

Ao g1, uma prima de Cleonice, a artesã Luzinete Aragão, reforça a acusação por parte da filha da vítima. Segundo ela, a mulher tinha apenas uma opção: "Ela ficava com ele ou com mais ninguém".

O que ele fez com ela... Ele a perfurou. Enfiou o cabo de vassoura no ânus dela. Rasgou ela todinha por ciúmes. Isso não é um homem, é um maldito. Um animal. Eu imagino o que ela tenha sofrido!
— Luzinete Aragão, prima da vítima

A reportagem conversou também com a costureira Maria Arlete, outra prima de Cleonice. A mulher relata o desenvolvimento do relacionamento que, segundo a família, era abusivo. "Ele chegou a morar na casa da mãe dela [da vítima]. Ele batia muito nela no local, e a mãe disse que não aguentava mais assistir aquilo. Ele não gostou, alugou uma casa e foi morar com ela".

Segundo Luzinete Aragão e Maria Arlete, após deixar a casa da mãe, Cleonice passou a morar junto com o suspeito em uma casa no bairro Jardim Rio Negro, também em São Vicente (SP).

Ele ameaçou que se ela não o acompanhasse, mataria a família 'um por um'. A mãe [da vítima] chora demais, pois diz aos familiares: 'Minha filha deu a própria vida para salvar a nossa'
— Maria Arlete, prima da vítima

Relembre o caso

A professora aposentada Cleonice Antônio Santos, de 48 anos, morreu após ser violentada com um cabo de vassoura em São Vicente. O objeto perfurou a parte central do intestino grosso.

A vítima morreu no Hospital Municipal de São Vicente. O laudo pericial do Instituto Médico Legal (IML), obtido pela reportagem, aponta que a causa da morte foi "choque séptico", ou seja, uma infecção generalizada, que foi causada pela perfuração.

Polícia Civil investiga morte de professora em São Vicente, SP

Polícia Civil investiga morte de professora em São Vicente, SP

Na unidade de saúde, a equipe médica disse à família de Cleonice que encontrou de pus na cavidade. Os médicos realizaram uma cirurgia chamada laparotomia exploratória, em que o abdômen é aberto e os órgãos abdominais são examinados em busca de lesões ou doenças.

Ao g1, a artesã Luzinete Aragão, prima da vítima, alega que a família suspeita do namorado de Cleonice, que teria desaparecido após levá-la ao hospital.

Um boletim de ocorrência foi registrado no 1º Distrito Policial de São Vicente segunda-feira (15), dia em que Cleonice morreu. A filha dela informou à Polícia Civil que, segundo relatado pelo próprio namorado da mãe, Cleonice teria sido socorrida por ele após "se sentir mal".

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

50 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Calendar