Carregando...

Cesta básica na cidade de SP sobe 14,39% nos últimos 12 meses e está R$ 80 mais cara do que no ano passado, afirma Dieese

Itens da cesta básica, que acumulam alta em todo o país — Foto: Acervo Aleam

Itens da cesta básica, que acumulam alta em todo o país — Foto: Acervo Aleam

A cesta básica na cidade de São Paulo chegou a R$ 636,40 no mês de maio e está cerca de R$ 80 mais cara do que no mesmo mês do ano passado, segundo um levantamento mensal do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O órgão, que desde 1959 mede os preços de 13 itens essenciais da cesta básica em 17 capitais do país, apontou que a capital paulista ocupa a vice-liderança dos itens mais caros do Brasil.

A cesta subiu em 14 das 17 capitais e, em São Paulo, nos últimos 12 meses, o Dieese apurou que a cesta básica teve aumento de 14,39%.

A cidade de São Paulo perdeu apenas para Porto Alegre, onde o valor da cesta chegou a R$ 636,96 em maio (veja tabela abaixo).

Preço da cesta básica no mês de maio em 17 capitais brasileiras.— Foto: Reprodução/DIEESE

Preço da cesta básica no mês de maio em 17 capitais brasileiras. — Foto: Reprodução/DIEESE

Produtos em forte alta

Os itens que mais tiveram aumento de preço em maio na capital paulista, segundo a pesquisa, foram o tomate, que cresceu 3,58% entre abril e maio, a batata (3,34%), a manteiga (3,07%), o café em pó (2,90%), a carne bovina de primeira (1,52%), o açúcar refinado (1,35%), o óleo de soja (1,29%), o leite integral (0,63%), a farinha de trigo (0,58%) e o pão francês (0,36%).

Quem ganha até um salário mínimo na cidade de São Paulo e tem uma jornada diária de 8 horas precisa trabalhar quase 16 dias para conseguir comprar uma cesta básica, diz o Dieese.

  • LEIA MAIS:
  • Alternativa à carne, preço do ovo sobe 10% em 2021 na cidade de SP, diz IPC-Fipe; alta do frango chega a 3,42%
  • Alta nos custos preocupa produtores de ovos do interior de SP
  • Preço do óleo de soja cresce mais de 90% na cidade de SP em 12 meses, segundo IPC-Fipe; alta do arroz chega a 63%

O trabalhador de baixa renda leva cerca 127 horas e 17 minutos para conseguir renda suficiente para comprar os 13 itens que compõem a cesta e compromete mais de 62% do salário mínimo com esta alimentação básica, afirma o departamento.

O levantamento de maio também mostrou que os itens que ficaram um pouquinho mais baratos em maio, em relação a abril, foram a banana, que teve redução de 5,76%, o feijão carioquinha (-4,85%) e o arroz agulhinha (-2,02%).

VÍDEOS: Tudo sobre São Paulo e região metropolitana

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*