Carregando...

Comissão da Prefeitura de SP que investiga irregularidades na ocupação das ruas do Brás vai fazer 1º reunião nesta quarta

Prefeito exonera responsável por fiscalizações no Brás

Prefeito exonera responsável por fiscalizações no Brás

A Subprefeitura da Mooca fará nesta quarta-feira (1º) a primeira reunião da comissão que vai apurar as irregularidades na Feirinha da Madrugada, no Brás, tradicional centro de comércio popular de São Paulo.

O coordenador de planejamento e Desenvolvimento Urbano, Jerônimo Amâncio da Silva, fazia parte da comissão, mas foi exonerado no início desta semana, e não participa mais da reunião. O coronel da reserva da Polícia Militar era o responsável pelas ações de fiscalização na região.

O subprefeito da Mooca, José Rubens Domingues, diz Jerônimo foi exonerado sem o conhecimento dele.

As mudanças ocorreram após denúncias de que as ruas do Brás são controladas por milícias, que os fiscais não apreendiam mercadorias e de que os ambulantes sabiam das fiscalizações da prefeitura com antecedência.

O controle das ruas e calçadas do Brás é controlado por grupos e milícias. Quando amanhece, após o término da feirinha, os ambulantes tem hora certa para montar as bancas e são obrigados a trabalhar todos os dias. É o que mostra o áudio, compartilhado por mensagem de aplicativos, de uma mulher que se apresenta como liderança da Associação do Comércio Informal dos Micros e Pequenos Empreendedores (Acimpe).

“Segundo a liderança da madrugada, vai ser desmontado às 5h da manhã a feirinha. Toda nossa equipe vai estar aí, para quê? Para colocar os cones e evitar que sejam colocados carros, porém, horário de montagem de banca, 6h30. Obrigatória a montagem da banca. Quem não vier montar a banca hoje, vai haver perda de pontos”, diz a mulher.

Ela continua fazendo ameaças e diz que o grupo foi feito para informar onde está a fiscalização, conhecida como “rapa”.

“Faltou três dias consecutivos, faltou três dias pulados...vai ser pôr outra pessoa no lugar para trabalhar. Nós temos 60 pessoas na lista de espera e pessoas que querem lutar e trabalhar com a gente.”

O presidente da Acimpe, Neilson Paulo, confirmou que a mensagem é verdadeira, mas disse que a associação não controla a ocupação das calçadas e nem cobra taxa dos ambulantes.

Os comerciantes da região reclamam que as ruas e calçadas ficam lotadas o tempo todo, criando dificuldades para a passagem dos pedestres.

Ambulantes do Brás ficam sabendo com antecedência sobre as fiscalizações da Prefeitura

Ambulantes do Brás ficam sabendo com antecedência sobre as fiscalizações da Prefeitura


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar