Carregando...

Ministro da Saúde diz que há 'excesso de vacinas no Brasil'; seis estados estão com falta de imunizante para segunda dose

Ministro da Saúde durante agenda em SP — Foto: Reprodução/TV Globo

Ministro da Saúde durante agenda em SP — Foto: Reprodução/TV Globo

Com a vacinação da segunda dose atrasada em ao menos seis estados, principalmente por falta do imunizante da AstraZeneca, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que há "excesso de vacinas" no país e elogiou o sistema de distribuição do governo federal.

Além de São Paulo, que acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) por conta da ausência de imunizante, Bahia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo e Rio Grande do Norte também enfrentam problemas para completar a vacinação da população contra a Covid-19.

"Há excesso de vacina na realidade. O Brasil já distribuiu 170 milhões de doses de vacinas, 210 milhões já foram aplicadas, hoje nós já temos doses pra vacinar todos os brasileiros acima de 18 anos com a primeira dose, agora, naturalmente, há um anseio de avançar, por exemplo, nessa dose de reforço, ou terceira dose, naqueles indivíduos que são mais vulneráveis", disse Queiroga em Guarulhos.

O ministro esteve no Aeroporto Internacional de Guarulhos na manhã desta quarta para um evento de entrega de novo lote de vacinas da Pfizer que serão enviadas aos estados.

  • Estado de SP recebe 458 mil doses da vacina da AstraZeneca e volta aplicar 2ª dose do imunizante na quinta-feira
  • Butantan entrega último lote de CoronaVac ao Ministério da Saúde e conclui envio de 100 milhões de doses previstas em contratos
  • Prefeitura de São Caetano fecha hospital de campanha nesta quarta-feira, após um mês sem novas internações

Ao ser questionado sobre o desabastecimento de AstraZeneca, negou que exista algum problema. São Paulo, por exemplo, zerou os estoques e aplica a vacina da Pfizer no lugar da segunda dose da AstraZeneca.

"Precisa acabar com essas narrativas de falta de vacina. Isso não é procedente, o Brasil vai muito bem. O Brasil já é dos países que mais vacinam no mundo", disse Queiroga.

O ministro acusa os estados de terem usado vacinas destinadas à segunda dose para acelerar o calendário. O governo paulista nega e alega atrasos e falhas na entrega de vacinas por parte do governo federal.

VÍDEOS: Veja mais notícias sobre São Paulo e região:

8 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*