Carregando...

Polícia de SP prende quadrilha que fingia ser do call center de bancos para furtar dinheiro de clientes

Polícia de SP prende jovens que aplicavam golpes em clientes de bancos

Polícia de SP prende jovens que aplicavam golpes em clientes de bancos

A Polícia Civil de São Paulo prendeu na terça-feira (14) uma quadrilha que criou um “call center do crime” para furtar dinheiro de contas de clientes de bancos no país.

A 4ª Delegacia de Crimes contra o Patrimônio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) investigou e deteve quatro mulheres. Elas seriam indiciadas por estelionato e associação criminosa.

As mulheres, que têm entre 18 e 19 anos de idade, operavam uma central clandestina com telefones celulares e cinco computadores no bairro de Perus, na Zona Norte da capital paulista. Nenhuma delas tinha passagens criminais anteriores. A polícia investiga se mais pessoas participavam do esquema criminoso.

De acordo com a investigação, elas fingiam ser atendentes do call center de bancos, ligando para clientes das agências, de preferência idosos. Segundo a polícia, as falsas atendentes diziam às vítimas que apareceram compras suspeitas nos cartões bancários delas pelo sistema de monitoramento.

LEIA TAMBÉM:

  • Golpe da maquininha quebrada: saiba como se proteger
  • Mulher fingia ter câncer e dava golpes em comerciantes e prestadores de serviços
  • PIX: golpes usam promessas de descontos em faturas para atrair vítimas

Quatro mulheres foram presas suspeitas de atuarem em 'call center do crime' em São Paulo — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Quatro mulheres foram presas suspeitas de atuarem em 'call center do crime' em São Paulo — Foto: Divulgação/Polícia Civil

E que para checar se a compra era irregular seria preciso digitar a senha do cartão no celular. Em seguida, um programa de computador identificava os números, repassando-os à quadrilha.

Em alguns casos, os bandidos enviavam motoboys para as residências das vítimas. Eles pediam o cartão bancário atual com a falsa promessa de que seria substituído por um novo.

Com o cartão e as senhas dos clientes, o bando fazia saques de dinheiro em caixas eletrônicos e compras online. Para ajudar no ‘disfarce’, as atendentes colocavam músicas de espera dos respectivos bancos das vítimas.

O Deic ainda apura quantas vítimas caíram no golpe e quanto de dinheiro já foi retirado das contas delas. “Cuidado com quem liga para vocês. Essa é uma quadrilha muito articulada, onde geralmente eles usam o telefone fixo. Então cuidado quando receberem ligação via telefone fixo”, disse o delegado Jacques Ejzenbaum, da 4ª Delegacia de Crimes contra o Patrimônio.

VÍDEOS: Veja mais notícias de São Paulo e região

8 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*