Carregando...

Governo de SP ignorou pedido de intervenção na Prevent, diz Covisa - Notícias - R7 São Paulo

O coordenador da Covisa (Coordenaria de Vigilância em Saúde), Luiz Artur Vieira Caldeira, afirmou à CPI da Prevent Senior, da Câmara Municipal de São Paulo, que os pedidos de intervenção e inspeção nos hospitais da operadora de saúde foram ignorados pelo governo estadual de São Paulo.

"Os motivos do qual o estado não forneceu uma resposta formal, aí realmente nós não temos como julgar o porquê", disse o chefe do órgão ligado à prefeitura de São Paulo. Ele explicou que a Covisa repassou as denúncias à gestão Doria porque é de competência do governo estadual intervir, regular e penalizar irregularidade em hospitais. 

O R7 entrou em contato com o governo estadual, mas não recebeu resposta até a publicação desta matéria. 

Segundo Caldeira, os pedidos do órgão teriam ocorrido no início da pandemia, em março de 2020, seguindo denúncias da imprensa que apontavam aglomerações de pacientes infectados da covid-19 com outros idosos e e de casos que não tinham sido notificados corretamente à prefeitura.

No dia 18 de março, contou Caldeira, a Covisa realizou uma inspeção nos hospitais da rede e encontrou uma série de irregularidades:

- Atraso das notificações referentes a casos e óbitos suspeitos e confirmados de Covid-19

- Concentração de casos suspeitos de toda a rede Prevent Senior na unidade Paraíso (referência)

- Ausência da realização de exames para pesquisa de influenza aos pacientes com SRAG, sendo realizado somente pesquisa de Covid-19

- Ausência de notificação de suspeita de surto de infecção por Covid-19 intra hospitalar;

- Quantidade insuficiente de kits para realização de confirmação laboratorial de Covid-19 nos casos de SRAG

A empresa foi orientada pela Covisa sobre quais procedimentos deveriam ser adotados. No dia 23 de março de 2020, o órgão realizou uma nova inspeção na unidade e, mesmo com a empresa mostrando melhorias no atendimento aos pacientes, optou por abriu um processo administrativo sanitário contra a empresa, que também recebeu uma multa.

A prefeitura então reportou no dia 27 de março de 2020 a situação à Secretaria Estadual de Saúde, pedindo uma intervenção estadual nas unidades da Prevent de Paraíso, Pinheiros e Paulista dos hospitais Sancta Maggiore, na capital paulista. 


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*