Carregando...

Thiago Brennand: empresário acusado de agredir modelo é solto após pagar fiança - Notícias - R7 São Paulo

O empresário e herdeiro Thiago Brennand, de 42 anos, preso na quinta-feira (13) nos Emirados Árabes Unidos, pagou fiança e responderá em liberdade ao processo de extradição. Ele é réu no Brasil por agredir uma modelo dentro de uma academia em São Paulo.

A informação foi confirmada ao R7 pela delegada Ivalda Oliveira Aleixo, da Divisão de Capturas, do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), de São Paulo, que participou da prisão do milionário.

“Foi arbitrada a fiança pelo judiciário de lá para que ele responda o processo de extradição em liberdade. Ele responde o processo de extradição em liberdade", diz. A extradição ainda pode levar algum tempo, e a expectativa é que ocorra entre novembro e janeiro, em razão da parte burocrática.

Com os documentos, é autorizada a extradição. "Tenho a convição de que conseguiremos agilizar esse processo, porque é de interesse nosso, por conta do deboche que ele fez com a Justiça", disse a policial. De acordo com ela, alguns eventos previstos para o final do ano, como o recesso judiciário, podem influenciar no curso do processo.

Brennand deixou o Brasil no dia 4 de setembro. Como ele não chegou a ser ouvido pela Justiça, quando retornar ao país ele será interrogado por um juiz, pelo Ministério Público e por advogados de defesa. "Será o momento em que ele poderá compor eventuais provas em sua defesa", explica Ivalda.

A polícia espera que a partir de agora outras vítimas passem a denunciá-lo. "Já temos conhecimento de outras vítimas que começam a se sentir encorajadas", afirmou Ivalda. Com isso, outros processos podem ter início. "Para cada processo, cabe uma decisão judicial, uma condenação ou um mandado de prisão preventivo", diz a delegada. No caso da agressão da modelo Helena Gomes, os advogados de Brennand entraram com habeas corpus, mas foi negado.

A delegada lembra ainda que, quando Brennand deixou o país, ela chegou a se sentir frustrada. "Na minha cabeça de delegada e cidadã veio a frustração. No outro dia, a informação é que ele voltaria. Mas não acreditei, e isso foi bom porque deu o ensejo para o mandado de prisão. É uma satisfação profissional e pessoal, porque ele trata as mulheres como objetos."

O empresário estava foragido desde o dia 27 de setembro. A PF, que representa o Brasil na Interpol, reforçou o trabalho em conjunto com as autoridades policiais dos Emirados Árabes para localizar e prender o empresário, acusado de lesão corporal, tentativa de feminicídio e corrupção de menores.

"A prisão se deu em razão da difusão vermelha e dos contatos realizados pela Polícia Federal, em especial da recém-criada Adidância da PF na Jordânia, para o cumprimento da medida em Abu Dhabi. O detido, agora, permanecerá em Abu Dhabi aguardando os trâmites relativos ao processo de extradição", informou a PF.

A modelo Helena Gomes, agredida pelo empresário em uma academia paulistana, disse ao R7 que se sente aliviada após a prisão de Brennand. "Não consigo pensar nem um minuto no Thiago. Assim que recebi a notícia, comecei a receber mensagens de vítimas, e foram tão profundas. Não tem como pensar nele", revelou.

Emocionada, Helena diz que recebeu áudios de mulheres que não tiveram coragem de seguir com a denúncia. "Muitas não têm condição financeira para lutar. Meu pensamento vai para essas pessoas. Se eu tinha algum propósito nessa história, é para essas pessoas", disse.

A vítima disse ainda que foi informada sobre a prisão de Brennand no início da manhã desta sexta-feira (14). "Não estou feliz pelo que está acontecendo com ele, estou aliviada pelas pessoas. Meu caso não foi nada perto do delas", afirmou. "Me sinto orgulhosa de representar essas mulheres."

Thiago Brennand é acusado de lesão corporal, tentativa de feminicídio e corrupção de menores. A prisão preventiva foi decretada no dia 27 de setembro pela 6ª Vara Criminal do Foro Central Criminal da Barra Funda, em São Paulo, após ele não retornar ao país nem entregar o passaporte.

A prisão ocorreu após contatos realizados pela Polícia Federal, em especial da recém-criada Adidância da PF na Jordânia, para o cumprimento da medida em Abu Dhabi. Brennand permanecerá nos Emirados Árabes aguardando os trâmites relativos ao processo de extradição.

De acordo com comunicado, a PF destacou que "já localizou e prendeu mais de 50 foragidos internacionais no Brasil e mais de 70 brasileiros que tentaram fugir do país, no exterior, no ano de 2022".

No domingo (9), o empresário milionário publicou vídeos na internet em que se diz "perseguido" e "vítima de uma cruzada midiática". Ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça de São Paulo no dia 27 de setembro, acusado de agredir a modelo Alliny Helena Gomes em uma academia localizada em um shopping de São Paulo.

Os vídeos foram publicados por Brennand e apagados na segunda-feira (10). Nas publicações, ele critica a imprensa, o Ministério Público de São Paulo, a ex-promotora de Justiça Gabriela Manssur e a advogada Dora Cavalcanti. Além disso, o empresário reprova as denúncias contra ele, mas, ao mesmo tempo, afirma: "Não prejudicam minha biografia".

Em outro momento do vídeo, ele se dizia tranquilo e chegou a negar que estivesse fugindo da Justiça brasileira. "Estou absolutamente tranquilo, não estou fugindo", afirma. "Vamos ver se uma pessoa como eu, politicamente perseguida, se o mundo civilizado percebe ou cai na balela da imprensa."

A decisão judicial de determinar a prisão preventiva atendeu ao pedido do Ministério Público de São Paulo e se deu após Brennand não ter se apresentado no prazo de dez dias determinado anteriormente pela Justiça, que se encerrou no dia 23 de setembro. Após o caso de agressão, o empresário deixou o país rumo aos Emirados Árabes.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*