Carregando...

Conheça as drogas usadas no golpe do Boa noite, Cinderela - Notícias - R7 Saúde

A volta das festas em São Paulo fez crescer também as notificações de casos do golpe conhecido como Boa noite, Cinderela. Criminosos usam uma ou mais drogas (legais e ilegais) para deixar a vítima inconsciente e assaltá-la ou até para abuso sexual.

O grande perigo envolve a mistura dessas drogas, que costumam ser adicionadas na bebida alcoólica da pessoa.

No Ceatox (Centro de Assistência Toxicológica) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), as notificações mais frequentes envolvem o uso de medicamentos sedativos ou ansiolíticos.

Outras drogas ilegais podem representar um sério perigo à vida dos alvos desses criminosos. É o caso do GHB (ácido gama-hidroxibutirato).

Os benzodiazepínicos são uma classe de medicamentos de tarja preta que têm como característica em comum diminuir a atividade do sistema nervoso central.

A assistente toxicológica e farmacêutica bioquímica do Ceatox Wellingta Crizostomo Gomes Correia explica que a droga mais frequente é o midazolam, um sedativo muito usado em exames de endoscopia ou como pré-anestésico. 

"Pelas características dele no organismo, quando associado principalmente com álcool [o midazolam] já causa esse efeito que a gente chama de dissociativo. A vítima tem uma comprometimento de realidade, de memória... Ele é absorvido rapidamente e também é eliminado do corpo muito rápido, cerca de 15 horas depois. Muitas vezes você não vai ter a prova no organismo da pessoa caso tenha um exame toxicológico, por exemplo."

Outro fator que torna os benzodiazepínicos mais usados pelos criminosos é o acesso e o preço. Embora sejam medicações com necessidade de receita, costumam ser mais fáceis de serem obtidas do que outras drogas.

Se a pessoa drogada com a combinação de álcool e benzodiazepínico fizer uso de algum medicamento, como antidepressivo, por exemplo, há o risco de o quadro se agravar, acrescenta Wellingta.

"Nesses casos pode ter uma potencialização do efeito depressor. Ou se é um paciente idoso que já tem um comprometimento renal na metabolização e excreção da droga, o efeito pode ser mais grave, com evolução para um quadro de depressão respiratória e alteração cardiovascular mais importante."

Os sintomas mais comuns dos benzodiazepínicos associados ao álcool são confusão mental, dificuldade de equilíbrio e para andar, fala arrastada, lapsos de memória e sonolência.

Nos Estados Unidos, o zolpidem — um remédio para insônia — tem sido a droga preferida dos criminosos que praticam esse tipo de golpe. Este é um medicamento amplamente comercializado no Brasil, apesar da necessidade de receita médica.

Segundo o American Addiction Centers, dos EUA, a associação entre zolpidem e álcool pode causar tontura, sonolência, desorientação, confusão mental, alucinações, controle motor prejudicado, comportamento incomum, perda de memória e respiração lenta ou comprometida.

Assim como o midazolam, o zolpidem também é eliminado rapidamente — entre 14 e 17 horas para doses de 5 mg a 10 mg (meio e um comprimido, respectivamente).

Dentre as drogas mais usadas no Boa noite, Cinderela, o GHB (gama-hidroxiburiato) é uma das que mais oferecem risco à saúde. Trata-se de um líquido inodoro, levemente salgado e amargo proibido no Brasil. 

"Ele atravessa facilmente a barreira hematoencefálica, conduzindo a anestesia geral e depressão respiratória", descreve o Manual de Toxicologia Clínica: Orientações para assistência e vigilância das intoxicações agudas, da Coordenaria de Vigilância em Saúde da Prefeitura de São Paulo.

Os sintomas começam entre 10 e 15 minutos após a ingestão da droga e são potencializados se o uso for concomitante com álcool.

Em baixas doses, causa relaxamento muscular, euforia e sonolência. Doses mais elevadas provocam perda da consciência, depressão respiratória, queda dos batimentos cardíacos, podendo levar ao coma e até morte.

"No GHB, já vimos casos que cursaram realmente com sintomas graves e quadro de coma. Por ele já ser líquido, a gente entende que facilita um pouco para o criminoso colocar essa droga [na bebida]", conta Wellingta.

Nos casos em que há queda da pressão arterial e dos batimentos cardíacos, o paciente deve ser levado à emergência de um hospital para receber tratamento de suporte, que pode incluir ventilação mecânica.

"Se ingerido sozinho, a duração de coma é geralmente curta, com recuperação dentro de 2 a 4 horas e a resolução completa dos sintomas dentro de 8 horas", acrescenta o manual.

A cetamina é um agente anestésico que tem versões para humanos e animais. A droga recreativa é uma versão em pó do líquido usado em animais.

Tem ação dissociativa, fazendo com que a pessoa perca a noção da realidade, e alucinógena. É uma droga menos usada no Boa noite, Cinderela por ter uma absorção menor pela via oral.

Doses elevadas podem causar distúrbios de fala e visuais, amnésia e vômitos. Em casos mais graves, há possibilidade de depressão respiratória, apneia e convulsões.

Assim como as demais drogas, o tratamento é de suporte, acrescenta a assistente toxicológica do Ceatox.

"A gente tem antídotos para poucas substâncias, o tratamento é mesmo sintomático. Por exemplo, se o paciente está com queda da pressão arterial, você vai tratar a queda da pressão; se está com os batimentos cardíacos diminuídos, vai tratar aquela bradicardia. Dificilmente você tem tempo para fazer procedimentos como lavagem gástrica ou carvão ativado. Normalmente, o cuidado é de suporte."

É importante procurar atendimento médico e registrar boletim de ocorrência caso você seja vítima de um crime deste tipo.

O hospital pode, se houver estrutura, realizar um exame de urina para saber qual droga estava presente no organismo.

O delegado de polícia também costuma solicitar o exame toxicológico no registro do boletim de ocorrência. Essa informação não interfere no tratamento, mas tende a ser útil na investigação. 

O Ceatox do Hospital das Clínicas oferece atendimento telefônico 24 horas para a população e profissionais de saúde com orientações para esse tipo de caso. O telefone é o 0800-0148110.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*