Carregando...

Frente Nacional de Prefeitos está reunida em Aracaju

FNP realiza reunião em Aracaju— Foto: TV Sergipe

FNP realiza reunião em Aracaju — Foto: TV Sergipe

A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) está reunida em Aracaju, nesta quinta-feira (25), no primeiro encontro presencial desde o início da pandemia. O evento tem a presença de cerca de 100 prefeitos, embora a FNP reúna 412 municípios.

Na programação, além da solenidade de posse do conselho de prefeitos, serão debatidas temas como: transporte público, qualidade de vida nas cidades, saúde e desafios educacionais no pós-pandemia, além dos projetos que tramitam no Congresso Nacional como a Reforma Tributária e o Pacto Federativo que remodela a forma de distribuição de receitas entre União, estados e municípios.

“Hoje vamos nos concentrar em três temas: o primeiro é saúde, o pós-pandemia. A saúde precisa de recurso, no sentido de que ficaram represadas muitas doenças que a partir do ano que vem as pessoas voltarão a procurar tratamento nas unidades e nos postos de saúde. A segunda questão, é a retomada do desenvolvimento econômico. Estamos com mais de 19 milhões de desempregados no Brasil, há o crescimento de dezembro e é preciso que a gente avance de maneira significativa na retomada do desenvolvimento econômico. E o terceiro ponto, o transporte coletivo”, disse o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), que é presidente da Frente, desde abril deste ano.

Edvaldo contou que existe uma proposta dos prefeitos para que o governo federal invista cerca de R$ 5 bilhões para que os municípios possam negociar a gratuidade no transporte público. “Hoje a gratuidade dos idosos e das pessoas com deficiência representa quase 20% do preço da passagem. e é uma lei federal que obriga isso. Vamos solicitar que o governo federal financie, o que dá R$ 5 bilhões por ano, para todo o país, que será divido pelas prefeituras”, explicou.

Um outro ponto destacado pelo presidente da FNP, é o Consórcio Conectar, que de acordo com Nogueira vem ajudando os municípios a economizar na compra de medicamentos e insumos. “Vamos fazer compras conjuntas grandes nas cidades brasileiras, são dois mil municípios que estão consorciados. Já fizemos o primeiro edital e já conseguimos uma economia de 40% no preço de insumos e medicamentos. Teve pontos que conseguimos uma economia de 60%. Compramos mais barato que o mercado. As prefeituras que aderirem a nossa ata de preços e que aderirem ao consórcio poderão se beneficiar dessa questão.

Também sobre o consórcio, ele destacou a importância da telemedicina durante a pandemia "As pessoas que tinham acesso a telemedicina não precisavam ir na unidade básica de saúde, mas conseguiam fazer a consulta. Precisamos aumentar o financiamento na área da saúde, essa é uma pauta que vamos levar para o governo federal”, finalizou.

O evento, que está sendo realizado em um hotel da capital, será encerrado nesta sexta-feira.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*