Carregando...

‘Aglomerações que causam esse pico de contaminações’, afirma diretor da Santa Casa de Alfenas

Santa Casa chegou a ter todos os leitos de UTI ocupados nos últimos 15 dias em Alfenas

Santa Casa chegou a ter todos os leitos de UTI ocupados nos últimos 15 dias em Alfenas

A Santa Casa de Alfenas (MG) chegou a 60% de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). De acordo com o diretor clínico do hospital, Carlos Marcelo de Barros, as aglomerações no município tem feito a cidade viver as semanas mais críticas em relação a contaminação e internações. Segundo a prefeitura, município possui 1.242 infecções pela Covid-19, sendo 38 mortes pela doença.

“Nós vivemos as piores semanas desde o início da pandemia depois de um grande pico de internações que começou no dia 19 de setembro. Com alguns dias atingimos 100% das vagas de UTI [atualmente está em 60%]. Não há duvidas que esse pico de internações vem diretamente ligado ao relaxamento da população e ao excessivo número de aglomerações que a gente vê na cidade. A gente vê festas clandestinas. As aglomerações são responsáveis a esse pico de contaminação”, disse.

O diretor alertou, ainda, que a maioria da procura por atendimentos é feita por jovens. Segundo ele, muitos jovens têm acreditado que não correm risco com a doença.

“A maioria absoluta dos pacientes que procuram atendimento é de pacientes jovens. É um engano falar que o jovem não vai morrer de Covid-19, ‘que é uma doença que só ataca os mais velhos’. Jovem morre também, [mas] o que acontece é que a maioria dos jovens tem uma reserva orgânica que suporta mais a doença que um idoso. Mas já tivemos óbitos de pessoas saudáveis, com 37 e 40 anos. É um engano o jovem que acha que ele pode fazer festa e que ele é imune. A doença mata menos jovens, mas mata jovens também”, apontou.

Diretor-clínico da Santa Casa de Alfenas afirma que aglomerações têm causado infecções na cidade — Foto: Reprodução/EPTV

Diretor-clínico da Santa Casa de Alfenas afirma que aglomerações têm causado infecções na cidade — Foto: Reprodução/EPTV

Carlos Marcelo de Barros salienta que a cidade vinha de uma situação relativamente estável, mesmo com o comércio aberto desde maio. Segundo ele, o número de casos e mortes só não é maior devido à estrutura de saúde na cidade.

“A gente vinha em uma situação relativamente estável, não tinha nunca nem chegado próximo a 100% de ocupação. É uma situação grave que passamos nas últimas duas semanas. A gente precisa que a população ajude. Não teve uma tragédia maior em Alfenas porque a estrutura de saúde é excelente. A cidade está com o comércio aberto desde maio e a gente não passou nem perto do que passou agora. Então, houve o feriado e houve as aglomerações, então, houve o pico de contaminação. Então, não há dúvida, são as aglomerações que causam esses pico de contaminação”, disse.

Coronavírus em Alfenas

A Prefeitura de Alfenas confirmou cinco novas mortes por Covid-19 na sexta-feira (2) e chegou a 38 óbitos em decorrência da doença. A administração municipal registrou ainda 74 casos positivos de coronavírus.

Com isso, Alfenas contabiliza, agora, 1.242 contaminações, sendo 38 mortes em decorrência da doença. Segundo a administração municipal, 242 pacientes ainda estão em isolamento domiciliar, 14 internados e 948 pessoas já se recuperaram da doença.

VÍDEOS: Veja as últimas notícias do Sul de Minas

7 vídeos

Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*