Carregando...

MPT abre investigação por suposto assédio eleitoral de dirigentes de entidades lojistas em Passos, MG

O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu uma investigação para apurar a conduta de dirigentes de entidades lojistas de Passos (MG) por suposto assédio eleitoral.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, os presidentes da Associação Comercial e Industrial de Passos (ACIP), Renato Mohallem; do Sindicato do Comércio Varejista de Passos (SINDPASS), Gilson Madureira e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Frank Lemos Freire, dizem aos trabalhadores que "pensem em garantir o seu emprego para 2023" votando no candidato à reeleição à presidência, Jair Bolsonaro (PL).

"Conscientize o seu colaborador da importância da manutenção da política econômica em vigor no nosso país atualmente", diz o presidente da ACIP, Renato Mohallem, em um dos trechos.

"Você que é nosso colaborador, pense nisso, pense em garantir o seu emprego para 2023", diz Gilson Madureira, do SINDPASS, em outro trecho.

MPT abre investigação por suposto assédio eleitoral de dirigentes de entidades lojistas em Passos — Foto: Reprodução ACIP / Redes Sociais

MPT abre investigação por suposto assédio eleitoral de dirigentes de entidades lojistas em Passos — Foto: Reprodução ACIP / Redes Sociais

Proposta de TAC

Segundo o Ministério Público do Trabalho, o caso é investigado como intimidação da liberdade política e da preservação do voto. Em audiência com o advogado dos representantes, foi proposto pelo MPT a realização de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para que os vídeos sejam excluídos e uma retratação nos mesmos moldes seja feita.

A defesa terá até o dia 18 de outubro para se manifestar. Caso o TAC não seja firmado, os empresários poderão ser processados.

O assédio eleitoral consiste em utilizar do poder empresarial e econômico para intimidar, coagir, ameaçar, insistir e influenciar o voto dos trabalhadores empregados.

Segundo o MPT, em menos de 20 dias, foram abertos 30 procedimentos administrativos para investigar denúncias de assédio eleitoral por empregadores em Minas Gerais. Em todo o país, são cerca de 200 denúncias.

A produção da EPTV Sul de Minas, Afiliada Rede Globo, entrou em contato a defesa dos empresários, mas até a publicação desta reportagem, não houve retorno.

Veja mais notícias da região no g1 Sul de Minas


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*