Carregando...

Araguaína tem manhã movimentada no primeiro dia após o fim do lockdown

Avenida no centro de Araguaína voltou a ficar movimentada — Foto: Márcio Novais/TV Anhanguera

Avenida no centro de Araguaína voltou a ficar movimentada — Foto: Márcio Novais/TV Anhanguera

O trânsito voltou a ficar movimentado nas avenidas e ruas de Araguaína nesta terça-feira (8) no primeiro dia após o fim do lockdown. Com muitos carros e motos, além de pedestres nas calçadas, as imagens nem de longe parecem com os registros feitos nos últimos dias. Uma longa fila se formou na porta de uma agência bancária e o movimento no centro comercial tem sido grande nas primeiras horas da manhã.

O prefeito Wagner Rodrigues (SD) avaliou o decreto de lockdown, que vigorou entre 3 e 7 de junho, como positivo e disse acreditar que a eficácia das ações deve ser visível nos próximos 10 a 15 dias. Mesmo com o fim do confinamento o município segue com as medidas de prevenção à pandemia de coronavírus.

Longa fila de pessoas esperando abertura de banco em Araguaína — Foto: Márcio Novais/TV Anhanguera

Longa fila de pessoas esperando abertura de banco em Araguaína — Foto: Márcio Novais/TV Anhanguera

Nesta segunda-feira (7) foi publicado um novo decreto que já começou a valer. O toque de recolher, fechamento bares e a proibição ao consumo de bebidas em estabelecimentos e espaços públicos estão entre as medidas estabelecidas.

  • Confira as novas regras de combate à pandemia em Araguaína.

Segundo o boletim epidemiológico desta segunda-feira (7), a Araguaína contabilizou 86 novos casos de Covid-19. A cidade soma 31.556 infectados e 410 mortes desde o início da pandemia, sendo a segunda cidade mais afetada pela pandemia no Tocantins. A taxa de ocupação das UTIs adultas é de 96% e dos leitos clínicos está em 99%, segundo o município.

De acordo com o decreto n° 042/21, publicado no Diário Oficial desta segunda-feira (7), a multa para a pessoa que for flagrada descumprindo as medidas de prevenção a pandemia passou de R$ 100 para R$ 200. Em caso de reincidência, o valor pode chegar a R$ 400 e o morador poderá responder por crime contra a ordem e saúde.

O G1 solicitou posicionamento do banco Bradesco sobre a grande movimentação na agência de Araguaína e aguarda uma resposta.

Imagem do centro comercial de Araguaína após o lockdown — Foto: Márcio Novais/TV Anhanguera

Imagem do centro comercial de Araguaína após o lockdown — Foto: Márcio Novais/TV Anhanguera

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

200 vídeos

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*