Carregando...

Polícia investiga se Samu omitiu socorro ao não atender anã que morreu após cair de calçada

Mulher morreu na varanda de casa em Miranorte — Foto: Divulgação

Mulher morreu na varanda de casa em Miranorte — Foto: Divulgação

A Polícia Civil abriu uma investigação para apurar uma possível omissão de socorro, por parte do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), na morte de uma mulher de 33 anos em Miranorte, região central do estado. A vítima era uma anã identificada apenas pelo nome de Fernanda, que caiu de uma calçada na noite deste domingo (15). Ela foi abrigada por uma moradora e recebeu um lugar para dormir, mas não resistiu e foi encontrada sem vida na manhã desta segunda-feira (16) em uma varanda.

A moradora que abrigou a vítima após o acidente pediu para não ser identificada. Ela conta que havia retornado da igreja quando encontrou a anã sentada na calçada em frente a um bar, ao lado da casa onde vive na região central da cidade. Pouco depois ouviu os gritos de alguém pedindo socorro porque a mulher tinha caído e batido a cabeça no chão.

“Eu liguei no pessoal do Samu, tenho o registro aqui, durou quatro minutos e 18 segundos. Eu explicando e eles perguntando: ela é da onde, estava fazendo o que? Eu disse: vou falar a verdade ela passou a tarde no bar, só que caiu e está com a cabeça machucada. Aí foi dizer que não podia mandar que precisava de liberação e que o médico não ia liberar porque ela queria era uma carona para ir para casa”, relatou.

A moradora ainda ligou para a Polícia Militar, mas foi informada que no momento do acidente não havia nenhuma viatura na cidade. Depois disso ela resolveu abrigar a vítima, devido ao horário, e providenciou um local para que dormisse na varanda da casa.

“Eu chamei ela e só da terceira vez que abriu o olho. Ela disse que estava com frio e eu fiquei com dó e perguntei se queria dormir aqui em casa. Arrumei uma rede para forrar o chão, dei travesseiro e embrulhei. Quando foi 6h30 eu olhei pela porta de vidro e vi tudo quieto. Por volta de 7h eu levantei, abri a porta e percebi que ela estava morta”, lembrou.

A Polícia Científica esteve no local e o corpo foi levado para o IML de Paraíso do Tocantins. A Polícia Militar também foi chamada e desta vez compareceu para registrar o fato.

"Eu acredito que se o pessoal do Samu tivesse socorrido ela não teria falecido. Eu achei muito desrespeito com o ser humano porque pode está bêbado, mas é um ser humano. Se aconteceu algo a obrigação é socorrer."

O que dizem as autoridades

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou ao G1 que foi aberta uma investigação no sentido de apurar as circunstâncias de o porquê a equipe do SAMU não ter ido até o local para prestar atendimento a senhora de 33 anos.

Ainda segundo a SSP, o delegado Pedro Henrique Félix Bernardes, titular da 66ª DP de Miranorte, está à frente das investigações e requisitou perícia no local dos fatos, bem como, solicitou que o corpo fosse levado para o IML em Paraíso onde está sendo submetido a necropsia.

O G1 solicitou informações à Polícia Militar, mas não houve reposta até a publicação desta reportagem.

A coordenação do Samu informou que a ambulância que atende Miranorte é uma unidade de suporte básica regulada pela Semus [Secretaria Municipal de Saúde] de Palmas. A cidade fica a cerca de 100 quilômetros da capital.

O G1 solicitou um posicionamento da Prefeitura de Palmas e aguarda uma resposta.

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*