Carregando...

'Vamos passear?': pets e tutores ganham mais locais para saírem juntos em Uberlândia

Segundo o gerente de marketing do shopping, a ideia é que o local não tenha nenhum obstáculo aos pets — Foto: Ludmila Melo/Uberlândia Shopping/Divulgação

Segundo o gerente de marketing do shopping, a ideia é que o local não tenha nenhum obstáculo aos pets — Foto: Ludmila Melo/Uberlândia Shopping/Divulgação

Fazer um passeio com o filhote de 4 patas em um fim de semana é um momento aguardado tanto pelo tutor, quanto pelo pet. Melhor ainda é poder dar aquela ida necessária ao supermercado, sem ter que deixá-lo sozinho em casa, após uma semana de pouca interação devido ao excesso de trabalho.

Rotinas que até pouco tempo seriam difíceis e até probidas de serem realizadas, mas que para a alegria de todos os papais e mamãe de pets, aos poucos está sendo transformada, graças a comércios e serviços que optaram por ampliar a experiência de passeios entre donos e companheiros de estimação. Tudo para agradar aos clientes e, claro, conquitar mais freguesia.

Para ilustrar essa mudança, o g1conversou com idealizadores de projetos que consideram importante a garantia de um cantinho em que os pets sejam bem vindos, afinal, eles já conquistaram esse espaço em muitas famílias.

No carrinho de compras

Segundo o diretor comercial da rede, os feedbacks são positivos e os clientes que vão ao mercado e podem ter esse momento com o pet, voltam — Foto: Valdez Borges/Arquivo pessoal

Segundo o diretor comercial da rede, os feedbacks são positivos e os clientes que vão ao mercado e podem ter esse momento com o pet, voltam — Foto: Valdez Borges/Arquivo pessoal

Em Uberlândia, as unidades da rede de supermercados Super Maxi passaram a fazer parte da lista de estabelecimentos que resolvem o problema dos donos de pets ao permitirem a entrada dos animais dentro de carrinhos próprios para eles.

Segundo o diretor comercial do supermercado, Milson Borges dos Santos, a ideia é proporcionar maior tranquilidade ao cliente ao permitir que seu animal de estimação o acompanhe durante as compras.

Nós víamos como os consumidores que tinham seus pets os deixavam no carro ou amarravam ali de fora da loja. Às vezes, algum entrava e os donos ficavam constrangidos. Então, nós pedimos que nossos fornecedores desenvolvessem os carrinhos onde o cliente coloca o bichinho embaixo e faz a sua compra na parte de cima”, detalhou o diretor.

Milson ainda relatou que a questão da higiene, um obstáculo à entrada de pets enfrentado por muitos locais que trabalham com a venda de alimentos, como os supermercados, deixa de ser um problema neste caso.

Essa questão da higiene sempre foi um problema, no sentido de que existem as pessoas que têm seu pet e ficam muito à vontade com seus animais e algumas que não têm e podem se incomodar com a questão da higiene mesmo. Com o carrinho, o cachorro não fica solto dentro do supermercado onde ficam os alimentos próximos, como por exemplo na padaria”, ressaltou.

Ainda segundo o diretor, a rede enfrenta a situação, que é como um paradigma, com tranquilidade e sentiu que a procura pelo estabelecimento aumentou muito com a proposta.

Dia de shopping

Organizadores do espaço recomendam que o pet estejam acompanhados de mais de um dono, para que sempre tenha alguém responsável pelos bichinhos nas mesas — Foto: Ludmila Melo/Uberlândia Shopping/Divulgação

Organizadores do espaço recomendam que o pet estejam acompanhados de mais de um dono, para que sempre tenha alguém responsável pelos bichinhos nas mesas — Foto: Ludmila Melo/Uberlândia Shopping/Divulgação

O passeio no shopping com o fiel amigo(a) já era possível, mas estar na área de alimentação era um problema para o cliente acompanhado do pet fazer alguma refeição, já que não é permitida a entrada de animais Foi pensando nisso que a equipe do Uberlândia Shopping criou a Praça Pet.

Rayan Raison, o gerente de marketing do shopping, contou ao g1 que a proposta de abrir as portas do estabelecimento aos pets já vem desde a inauguração. Por isso, a recente construção da praça de alimentação pet foi idealizada para proporcionar maior conforto no passeio.

A gente viu que os clientes vinham ao shopping com os bichinhos, mas não podiam ir na praça comer. A experiência não era completa”, contou Rayan.

Para reforçar a demanda "pet friendly", o shopping também organiza feiras de adoção, encontro de cachorros e disponibiliza um espaço para doação de recursos a instituições que apoiam a causa dos animais de rua. Segundo Rayan, os resultados, além de colaborarem com o pilar social, são muito positivos para o shopping.

Passeio no condomínio

Projeto para a criação do espaço no condomínio — Foto: Grandverse Garden/Divulgação

Projeto para a criação do espaço no condomínio — Foto: Grandverse Garden/Divulgação

O cantinho para pets também foi uma iniciativa do residencial Grandverse Garden, em Uberlândia. De acordo com Gustavo Pereira, gerente comercial da urbanizadora responsável pelo projeto, Perplan, o público atual tem a necessidade de um espaço que proporcione maior qualidade de vida ao animais.

As famílias cada vez têm menos filhos, aumentando assim o número de pais de pets que, de certa forma, os empreendedores precisam ver a necessidade real desse tipo de cliente. É um mercado que está totalmente em ascensão. A área de pet deixou de ser um item opcional e passa a ser obrigatório no setor imobiliário”, ressaltou Gustavo.

Recomendações veterinárias

O médico veterinário Rodrigo Cincotto destacou alguns cuidados importantes a serem tomados pelos donos dos pets nos passeios, para que a experiência seja segura e realmente proveitosa.

  • Conforto térmico: diz respeito à hidratação dos animais e inclui desde o trajeto até o local escolhido, carro ou andando. Segundo o veterinário, existem diversas garrafinhas próprias para os pets que podem ser abastecidas já na residência. Ainda sobre a temperatura, é importante procurar por sombras, já que os animais, diferente dos humanos, não transpiram, mas fazem a troca de calor pela sudorese, ou seja, pela respiração;
  • Comportamento: algumas raças não são amigáveis com outros cães, mas podem ser, conforme Rodrigo, um amor com as pessoas. Às raças mais bravas com outros cães, recomenda-se o uso de focinheiras, principalmente aquelas que não fecham a boca totalmente, permitindo assim a troca de calor e a proteção contra brigas ou mordidas causadas pelo estresse dos bichinhos;
  • Segurança: na locomoção, é essencial o uso de cadeirinhas próprias, assim como dos cintos de segurança para pets;
  • Fêmeas: é recomendado compreender os períodos de cio das fêmeas. Nesses casos, o comportamento delas pode ser diferente do usual ou ainda provocar irritação entre os outros animais.

*Estagiária sob supervisão de Fabiano Rodrigues.

VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*